Publicidades

07/02/2019 | 05:33 | Praia Notícias | Polícia

Policial militar leva facada no rosto ao tentar evitar suicídio

Tribuna do Paraná


Na tentativa de ajudar um homem que ameaçava se matar, uma soldado da Polícia Militar do Paraná (PM) acabou numa situação que ela jamais imaginou na madrugada desta terça-feira (5). A policial foi esfaqueada no rosto pelo homem que, descontrolado, por muito pouco também não feriu a própria irmã. Apesar do susto e da gravidade do ferimento, a soldado da PM está bem.


Toda a situação começou por volta de 00h20, quando os policiais foram acionados numa casa de Porecatu, cidade que fica a aproximadamente 500 quilômetros de distância de Curitiba, pela família de um homem. O relato era o de que ele estaria se enforcando numa corda.


Quando os policiais chegaram ao local, encontraram o homem na verdade com uma faca na mão, ameaçando cortar a própria perna. Ao ver que ele iria se cortar, a irmã dele pulou em cima para evitar e tentar tirar a faca das mãos dele, mas o homem ficou ainda mais agressivo e foi preciso a ajuda dos policiais militares.


Descontrolado, o homem foi então em cima dos policiais e, com a faca em mãos, foi contido por força física pelos PMs. Durante essa tentativa de contenção, ele conseguiu se desvencilhar e deu uma facada no rosto da soldado que tentava o ajudar. A mulher foi atingida no supercílio direito.Diante da agressão, o outro PM que estava com a soldado atirou três vezes, atingindo um disparo de raspão no braço e outro no peito do homem, que caiu no chão e largou a faca.


A soldado ferida foi encaminhada ao hospital pelo próprio colega de farda. No hospital, a PM recebeu o atendimento necessário e precisou levar aproximadamente 30 pontos no rosto. Ela passa bem, mas teve um ferimento grave no rosto. Depois de receber os atendimentos, precisou ser encaminhada a Santa Casa de Misericórdia de Londrina, no interior do Estado, para exames.


Já o autor da facada foi encaminhado ao hospital por familiares. Ele também acabou sendo levado a Londrina numa ambulância do Samu. Segundo a polícia, depois que receber alta, deve sair do hospital preso. A arma usada pelo policial para conter o homem foi recolhida como procedimento padrão e a Polícia Civil deve ficar responsável pela finalização da apuração do crime cometido pelo homem, que deve responder por lesão corporal.

Fonte: Tribuna do Paraná

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer