Contador de visitas

utilizadores online
18/01/2016 | 06:00 | Saúde Porto Alegre já tem três casos de dengue confirmados em 2016 Prefeitura informou neste domingo que há mais dois casos na capital

Novos casos de dengue motivam aplicação de inseticidas em Porto Alegre (Foto: Reprodução/Concepa)


Dois casos de dengue foram confirmados em Porto Alegre, segundo informou neste domingo (17) a prefeitura. Com isto, sobe para três o número de incidências da doença na capital gaúcha em 2016. Todas são importadas – ou seja, a doença foi contraída fora do Rio Grande do Sul. Um dos pacientes é morador de Dourados (MS), e o outro, de Maceió.


O primeiro caso da doença no estado foi registrado em Passo Fundo, no Norte do estado. A Secretaria da Saúde da capital gaúcha ainda investiga três casos de chikungunya e cinco de infecção por zika vírus, além de outras possíveis incidências de dengue.


Após as confirmações, a prefeitura vai aplicar inseticida nas redondezas de onde estão os pacientes. O bloqueio de transmissão será realizado a partir das 9h em um raio de 150 metros a partir do entroncamento das ruas Doutor Barcelos, José Domingos Varela e Afonso Arinos, no bairro Tristeza, na Zona Sul; e a partir das 16h no bairro São José, na Zona Leste, em um raio de 150 metros a partir do trecho da Avenida Bento Gonçalves entre as ruas Machado de Assis e Doutor Lossio.


Suspeitas de dengue dobram no RS e governo cria sala de monitoramento


Até a última quinta-feira (14), foram notificados 108 casos suspeitos de dengue em todo o estado. Foram registradas ainda quatro notificações de febre chikungunya e 32 suspeitas de zika vírus. No mesmo período do ano passado, foram registradas 54 notificações de suspeita de dengue em solo gaúcho.


Nesta sexta-feira (15) a Secretaria Estadual da Saúde inaugurou uma sala de monitoramento de ações estratégicas de combate ao Aedes aegypti em Porto Alegre. O local vai reunir autoridades de saúde do governo federal, estado e municípios. Nele, um comitê vai se  encontrar uma vez por semana com o apoio de hospitais e universidades. A principal preocupação é com a possibilidade de um surto de zika virus, responsável pela microcefalia.


Durante a inauguração da sala de monitoramento, também foi anunciado um novo aliado no combate ao Aedes aegypti. Trata-se de um aplicativo para celular, pelo qual a população poderá fazer denúncias de infestações e ainda obter informações sobre  as doenças que o mosquito transmite.

Fonte: G1


Localizar notícia:

Jornalista Responsável: Paulo Airton Pires Marques
Reg. Prof. MTE/DRT/RS n° 16408
CNPJ: 15251707/0001-48
Telefone: 55 9645-2601(Whatsapp)
E-mail: paulomarquesnoticias@paulomarquesnoticias.com.br
Rua Professor Del Aglio, 128, Três de Maio-RS - CEP 98910-000