Publicidades

22/11/2020 | 09:57 | Saúde

Governo do RS recebe 15 pedidos de reconsideração de regiões em bandeira vermelha no Estado

Pela segunda semana consecutiva com maioria de regiões em vermelho, o mapa preliminar do distanciamento controlado recebeu pedidos de municípios com risco epidemiológico considerado alto

Governo do Estado / Divulgação

O governo do Rio Grande do Sul contabilizou 15 pedidos de reconsideração por parte de municípios e de associações regionais ao mapa preliminar do distanciamento controlado no Estado. Divulgado na sexta-feira (20), o levantamento aponta 13 regiões em bandeira vermelha, de risco epidemiológico alto para o contágio por coronavírus.
De acordo com o Executivo, desde a última rodada do mapa, o Estado vem percebendo aumento nas hospitalizações por covid-19 e nas internações em leitos de UTI, o que "justifica o retorno de um grande número de regiões em vermelho". As outras oito regiões covid foram classificadas em bandeira laranja, de risco médio.

Após a análise de recursos, o governo irá divulgar o mapa definitivo na próxima segunda-feira (23), que valerá entre terça-feira (24) até segunda-feira (30).
As regiões covid de Novo Hamburgo, Capão da Canoa, Canoas e Ijuí já haviam sido classificadas como risco alto na rodada vigente e, neste mapa preliminar, seguem em vermelho. Se juntam a elas as regiões de Caxias do Sul, Uruguaiana, Erechim, Palmeira das Missões, Porto Alegre, Passo Fundo, Guaíba, Santa Maria e Lajeado.

As oito regiões covid em bandeira laranja são Santo Ângelo, Santa Rosa, Cruz Alta, Bagé, Taquara, Cachoeira do Sul, Santa Cruz do Sul e Pelotas.

Locais somam 78% da população do RS
Conforme o mapa preliminar, 377 municípios gaúchos (do total de 497) estão classificados em bandeira vermelha, somando 8.821.066 habitantes, o que corresponde a 78% da população gaúcha (total de 11,3 milhões de habitantes). Desses, 175 municípios (780.575 habitantes, 9% da população gaúcha) podem adotar protocolos de bandeira laranja, porque cumprem os critérios da regra 0-0, ou seja, não têm registro de óbito ou hospitalização de moradores nos últimos 14 dias, desde que a prefeitura crie um regulamento local.

Além disso, do total de 120 municípios em bandeira laranja (2.508.539 habitantes, 22% da população do RS), 55 (370.351 habitantes, 15% da população gaúcha) podem adotar protocolos de bandeira amarela.

"Momento é de alerta", diz governo
Conforme o governo do Estado, o momento é de "alerta": o Rio Grande do Sul "observou aumento em todos os indicadores monitorados pela equipe do distanciamento controlado", afirma o Executivo.

"Houve elevação de 65% (de 171 para 282 casos) no número de óbitos e de 27% (de 923 para 1.171 casos) nas hospitalizações confirmadas por covid-19. Por isso, o governo do Estado reforça a necessidade de a população seguir os protocolos e as regras sanitárias estabelecidas pelo modelo", diz o material divulgado.

Um exemplo da piora nos números são as regiões de Porto Alegre e Guaíba, que estavam em bandeira laranja na rodada atual e retornam, pelo menos no mapa preliminar, à classificação de alto risco "devido ao agravamento de importantes indicadores do distanciamento controlado". Porto Alegre registrou, na última semana, um salto em termos de ocupação de leitos de UTI tanto para casos de covid-19 (de 276 para 284), como por síndrome respiratória aguda grave (SRAG), de 295 para 312.

Com isso, houve um recuo na oferta de leitos livres para tratamento intensivo na região, que agora está com 216 unidades – na semana anterior, eram 239. Porto Alegre contabilizou avanço também no acumulado de sete dias em termos de internações em leitos clínicos: foram 269 ante 231 na semana passada.
18 regiões em cogestão
Das 21 regiões covid no Estado, apenas Uruguaiana, Bagé e Guaíba não aderiram ao sistema de cogestão do distanciamento controlado. As outras 18 adotam protocolos alternativos às bandeiras definidas pelo governo – Santa Maria, Capão da Canoa, Taquara, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre, Santo Ângelo, Cruz Alta, Ijuí, Santa Rosa, Palmeira das Missões, Erechim, Passo Fundo, Pelotas, Caxias do Sul, Cachoeira do Sul, Santa Cruz do Sul e Lajeado.

As regiões em cogestão classificadas em bandeira vermelha podem adotar regras de bandeira laranja, e as classificadas em laranja podem adotar protocolos de bandeira amarela, basta que enviem protocolos próprios adaptados para aprovação da Secretaria de Articulação e Apoio aos Municípios (Saam).

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades