Publicidades

25/01/2021 | 09:26 | Saúde

Lote com 116 mil doses da vacina de Oxford começa a ser distribuído no RS

Das 18 coordenadorias regionais, cinco terão que retirar os imunizantes na central de distribuição do Estado, em Porto Alegre, e as demais receberão a carga por via aérea

Lote começou a ser distribuído nesta manhã na Capital - Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

Começou na manhã desta segunda-feira (25) a distribuição pelo Rio Grande do Sul das 116 mil doses da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford e pelo laboratório AstraZeneca. A carga foi importada da Índia e recebida no domingo (24) pela Secretaria Estadual da Saúde.


Das 18 coordenadorias regionais, cinco terão que retirar os imunizantes na Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Ceadi), em Porto Alegre. As outras 13 receberão as vacinas via aérea, com apoio  de aviões e helicópteros da Brigada Militar e da Polícia Civil.


Por volta das 7h, o movimento era tranquilo na Ceadi, na zona leste da Capital. Uma viatura da BM estava no local e uma caminhonete da 13ª Coordenadoria de Saúde, de Santa Cruz do Sul, era o único veículo aguardando a retirada — além dela, as coordenadorias de Porto Alegre, Cachoeira do Sul, Osório e Lajeado poderão retirar as doses a partir das 10h.


Ainda durante a manhã, uma aeronave da BM irá para Erechim, Santo Ângelo e Palmeira das Missões entregar doses para as 2ª, 6ª, 9ª, 11ª, 12ª, 14ª, 15ª e 17ª coordenadorias. Um helicóptero da Polícia Civil irá a Caxias do Sul e entregará para a 5ª coordenadoria.

 

À tarde, o avião da BM vai para Pelotas e Bagé entregar o restante da carga para a 3ª e 7ª coordenadorias. Já o helicóptero seguirá para Santa Maria distribuir para a 4ª e 10ª.

 

As coordenadorias devem separar as doses que serão enviadas para cada município. A previsão é de que trabalhadores de saúde que estão na linha de frente do combate à covid-19 comecem a ser vacinados na terça-feira (26) com essas doses.

 

Quem pode se vacinar


Com o número bastante reduzido de doses disponíveis no Brasil neste primeiro momento da fase 1 do Plano Nacional de Imunização, a prioridade para receber as doses é dos profissionais da saúde que atuam no atendimento de pacientes com coronavírus, idosos que vivem em lares de longa permanência ou acima dos 75 anos e indígenas. Ainda não há vacinação aberta em postos de saúde para demais pessoas previstas nos grupos prioritários.

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades