Publicidades

10/02/2021 | 21:20 | Esporte

Inter perde para o Sport no Beira-Rio e desperdiça chance de disparar na liderança do Brasileirão

Equipe de Abel Braga segue na ponta, mas apenas com um ponto de vantagem para o Flamengo

Mateus Bruxel / Agencia RBS

O Brasileirão pode ter escapado pelos dedos do Inter ao final da 35ª rodada. O time entrou em campo podendo abrir quatro pontos do Flamengo, na liderança da competição. E saiu com uma vantagem menor do que a que tinha antes. 


Com um primeiro tempo recheado de falhas, ficou com um jogador a menos antes de meia hora, entregou dois gols e perdeu para o Sport por 2 a 1. Na próxima rodada, tem a primeira posição em xeque, ao enfrentar o Vasco no Rio, enquanto os rubro-negros, na mesma cidade, recebem o Corinthians.


Abel Braga contou com a volta de Rodrigo Dourado ao meio, recuperado de lesão e depois de cumprir suspensão. Uendel entrou na lateral, na vaga de Moisés, e Caio Vidal retomou posição. Tudo dentro do esperado. No Sport, a novidade foi escalar o zagueiro Rafael Thyere, formando linha defensiva de cinco jogadores. A ordem: estacionar o ônibus à frente da área.


Os primeiros minutos do jogo foram exatamente como o planejado. O Inter, precisando da vitória, foi para cima, como se o estádio estivesse lotado, em busca de uma pressão que atrapalhasse o Sport. E, como desenhado, o sistema com três zagueiros impediu que entrassem os cruzamentos. Pela direita ou pela esquerda, o time gaúcho atacava pelos lados, mas a defesa afastava o que vinha. 

 

Com esse cenário, os primeiros chutes foram de fora da área. Cuesta bateu uma falta por baixo da barreira. Um leve desvio fez a bola sair perto da trave. Depois, em trama pela esquerda, Praxedes arriscou, mas a conclusão foi por cima. O único cruzamento que funcionou foi aos 15 minutos. Uendel achou a cabeça de Caio Vidal, que torneou para fora.

 

O time pernambucano tinha deixado claro que só esperava uma chance, um ataque esporádico que incomodasse o Inter. Pois veio aos 24. Era um escanteio para o time gaúcho. A defesa afastou e Uendel perdeu a dividida para Marquinhos, que arrancou. Quando se preparava para entrar na área, foi derrubado pelo lateral colorado. O árbitro interpretou como uma chance clara e expulsou o jogador. A partir de agora, seria com um a menos que os comandados de Abel Braga buscariam a vitória.

 

Por alguns minutos, a equipe tentou se adaptar sem um lateral de ofício, mas aos 35 o treinador colocou Léo Borges e sacrificou Praxedes. O problema é que, aos 38, a situação se complicou definitivamente.

 

Dourado perdeu a bola no meio do campo, e o contra-ataque que o Sport tanto aguardava aconteceu. Em velocidade, Marquinhos encontrou Dalberto. O atacante partiu para cima, se livrou de Lucas Ribeiro e venceu Lomba: 1 a 0.

 

Houve confusão entre os bancos de reserva na comemoração, com direito a expulsão de Zé Gabriel, volante do Inter, e integrantes das comissões técnicas, por isso demorou para a bola rolar novamente. E quando rolou, os comandados de Abel deram resposta imediata. 

 

Edenilson passou a bola no meio, Yuri Alberto dividiu com Maidana e Patrick pegou o rebote. Ajeitou e mandou para o gol, entre Luan Polli e a trave: tudo igual, 1 a 1.

 

Mas uma bobeira inacreditável, inaceitável para um time que briga pelo título do Brasileirão, devolveu a vantagem ao Sport aos 49. Um balão de Patric para a área deu toda a impressão de que sairia. A bola fez uma curva, Lomba pediu saída, mas Junior Tavares acreditou no lance e deu para Dalberto, que apenas empurrou para a rede. O Inter reclamou tiro de meta, mas a arbitragem confirmou o gol. 

 

O Inter voltou do intervalo sem trocas. O Sport colocou o lateral-esquerdo Sander no lugar de Marquinhos. Claramente, o time colorado ficou afoito. A necessidade de fazer dois gols, tendo um jogador a menos, ainda fazia a equipe parecer desorientada entre a pressa do cenário e o estilo da equipe, montada para marcar mais atrás. 

 

Em 15 minutos, não conseguiu ameaçar o Sport. Ainda teve outro problema, Patrick fez uma jogada pela esquerda e se embolou com os defensores do adversário. O árbitro entendeu que o jogador simulou e lhe aplicou cartão amarelo. Está suspenso do jogo contra o Vasco.

 

Só aos 17 o Inter levou perigo — e que perigo. Caio Vidal fez tudo sozinho, trouxe da direita para o meio e bateu de trivela. A bola passou pelo goleiro e chocou-se com a trave. No rebote, ele mesmo aproveitou novo cruzamento, mas chutou por cima. 

 

Foi sua última participação, dando lugar a Abel Hernández. Pouco depois,  Abel fez as trocas derradeiras: saíram Dourado e Patrick, entraram Nonato e Peglow.

 

O Sport também acertou a trave. Thiago Neves se livrou de Cuesta e, de frente para Lomba, bateu por cima, mas a bola raspou no travessão. O mesmo Thiago Neves teve outra chance, mas optou por tentar passar em vez de chutar, frente a frente com Lomba.

 

O Inter não teve forças para reagir. E agora precisará se reagrupar para manter a pouquíssima vantagem que ainda tem na liderança.

 

BRASILEIRÃO — 35ª RODADA — 10/02/2021

INTER (1)
Marcelo Lomba; Rodinei, Lucas Ribeiro, Cuesta e Uendel; Rodrigo Dourado (Nonato, 27'/2ºT); Edenilson, Praxedes (Léo Borges, 35'/1ºT), Caio Vidal (Abel Hernández, 19'/2ºT), Patrick (Peglow, 27'/2ºT); Yuri Alberto
Técnico: Abel Braga

 

SPORT (2)
Luan Polli; Patric, Iago Maidana, Adryelson, Rafael Thyere e Júnior Tavares (Hernane, 23'/2ºT); Marcão, Betinho (Ronaldo Henrique, 36'/2ºT) e Thiago Neves; Marquinhos (Sander, int.) e Dalberto (Luciano Juba, 36'/2ºT)
Técnico: Jair Ventura

 

GOLS: Marcão (S), aos 38, Patrick (I), aos 42, Dalberto (S), aos 49 min do primeiro tempo
CARTÕES AMARELOS: Patric, Jair Ventura, Marquinhos (S); Fernández (I)
CARTÕES VERMELHOS: Uendel, Zé Gabriel (I)
LOCAL: Estádio Beira-Rio, Porto Alegre
ARBITRAGEM: Rodolpho Toski Marques, auxiliado por Ivan Carlos Bohn e Victor Hugo dos Santos. VAR: Adriano Milczvski (todos do PR)

 

PRÓXIMO JOGO
BRASILEIRÃO — 36ª RODADA
14/2/2021 — 16H
VASCO X INTER

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades