Publicidades

15/02/2021 | 08:43 | Saúde

Chapecó vive pior cenário da Covid-19, diz diretor de hospital; Oeste de SC tem 100% de ocupação na UTI-Covid SUS

Hospital Regional do Oeste, em Chapecó, tem 63 pacientes de UTI com a doença e 23 deles estão com os aparelhos, mas fora da ala de UTI-Covid por falta de vagas

Diretor Osmar de Oliveira (à esquerda) em live neste domingo (14) com o prefeito de Chapecó (no meio) e o diretor técnico da Secretaria da Saúde do mu

Chapecó, no Oeste catarinense, vive o pior cenário da pandemia até agora, segundo o diretor-administrativo do Hospital Regional do Oeste, Osmar de Oliveira. Em uma live feita no final da manhã deste domingo (14), ele afirmou que o hospital está com 63 pacientes de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com Covid-19. Desses, 40 estão na ala de UTI-Covid do Regional e outros 23 estão em outros espaços físicos do hospital, já que não há mais vagas na ala.

 

A região Oeste de Santa Catarina enfrentou em todo o mês de fevereiro falta de vagas de UTI-Covid do Sistema Único de Saúde (SUS). Neste domingo, de acordo com o painel de leitos do governo do estado, nenhum dos quatro hospitais da área têm vagas na ala UTI-Covid.


Além do Hospital Regional do Oeste, que fica em Chapecó, também estão com o mesmo problema o Regional Terezinha Gaio Basso, em São Miguel do Oeste, o São José de Maravilha e o Regional São Paulo, em Xanxerê.

 

Em Chapecó, também não há vagas de UTI-Covid na rede particular. O Hospital Regional São Paulo informou que, até 10h deste domingo, quatro pessoas aguardavam leito de UTI-Covid e um paciente esperava por um leito de enfermaria da doença. No Regional de São Miguel do Oeste, só há vagas na enfermaria Covid. O G1 aguardava informações do hospital de Maravilha e até a atualização mais recente desta notícia.

 

A Prefeitura de Chapecó também informou que é possível que o início do ano letivo na cidade seja adiado para março, mas que isso deve ser decidido na segunda (15). Há um decreto em vigor que suspendeu as aulas presenciais nas redes pública e particular na cidade.

 

O município também informou que o prefeito, João Rodrigues (PSD), esteve em contato com médicos de Manaus para falar sobre a situação do sistema de saúde. Mas não houve nenhuma decisão relacionada a isso, conforme a prefeitura.

 

No caso de Chapecó, o pior cenário havia sido registrado no fim de agosto, quando 32 pacientes estavam na ala de UTI-Covid do hospital, que tinha capacidade para 35. Nesta semana, foram abertos mais cinco leitos com respiradores enviados pelo governo do estado.


Ao todo, foram mandados ao Hospital Regional do Oeste em fevereiro mais 15 respiradores. Cinco estão na ala de UTI-Covid, que foi ampliada de 35 para 40 leitos. Ainda é necessária a contratação de mais profissionais da saúde para a abertura de mais leitos. Porém, a prefeitura informou que os respiradores são utilizados no atendimento a pacientes enquanto a ala não estiver ampliada.

 

Outros dois respiradores foram enviados ao Hospital São José de Maravilha. A Secretaria de Estado da Saúde também disse que foram feitas, em 2021, 75 transferências de pacientes do Oeste do estado para outras regiões catarinenses, 45 delas em fevereiro.

 

Fechamento de bares, cinemas e igrejas


A Prefeitura de Chapecó anunciou na tarde de sábado (13) medidas mais rígidas para tentar frear o contágio do coronavírus. O município determinou a suspensão das atividades em bares, choperias, petiscarias e também proibiu a abertura de cinemas, teatros, museus e igrejas.

 

O decreto, assinado pelo prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD), atende a uma recomendação feita pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC).

 

As medidas valem a partir da meia-noite de domingo (14) e se estendem até 22 de fevereiro. Os estabelecimentos que são alvo do decreto, conforme o próprio documento, são “locais destinados a happy hours ou consumo predominante de bebida em qualquer horário”.

 

O município tem 18.007 casos confirmados da doença, com 151 mortes. Chapecó é a sexta cidade de Santa Catarina com mais pacientes e óbitos por causa da Covid-19. No estado, são 611.299 casos confirmados de coronavírus e 6.716 mortes, segundo a última atualização da pandemia feita pela Secretaria de Estado da Saúde no sábado.

Fonte: G1

Mais notícias desta categoria

Publicidades