Publicidades

16/02/2021 | 06:58 | Saúde

Oito idosos morrem após surto de coronavírus em asilo de Pelotas

Pelo menos 40 residentes e 29 funcionários testaram positivo. Dois idosos foram transferidos para a UTI. Secretaria notificou Ministério Público

Surto de coronavírus em asilo causa a morte de oito idosos em Pelotas - Reprodução/RBS TV

A Prefeitura de Pelotas confirmou nesta segunda-feira (15) um surto de coronavírus em um asilo da cidade da Região Sul do estado. De acordo com a direção da Quinta Urbana, Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI) em que foram registrados os casos, oito pessoas morreram.

 

A secretaria informou a situação ao Ministério Público (MP-RS), e os relatórios produzidos pela Vigilância Sanitária e Epidemiológica devem ser repassados até quarta-feira (17).

 

Os residentes começaram a ser vacinados no dia 27 de janeiro, segundo a ILPI. Nos dias seguintes, alguns começaram a apresentar febre e dor no corpo, o que levou os proprietários a desconfiarem de reações à vacina.

 

No entanto, no dia 1º de fevereiro, uma residente precisou ser hospitalizada e faleceu com suspeita de Covid-19. Após a confirmação epidemiológica, feita dois dias depois, foi iniciada uma série de ações da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) e da própria ILPI.

 

Segundo a SMS, foram feitos testes rápidos e RT-PCR nos 62 idosos e nos 41 funcionários da casa geriátrica.

 

Quarenta idosos tiveram resultado positivo e 22, negativo. Dos casos positivos, 32 foram transferidos para outros locais, como leitos do Centro Covid e de hospitais da cidade, entre sábado (13) e esta segunda (15). Cinco já receberam alta e voltaram pra casa de familiares, mas dois precisaram ser internados na UTI.

 

Os outros oito aguardam em isolamento por vagas para serem transferidos. Os residentes que testaram negativo para a doença permanecem no local em observação.

 

Josette Soares Pereira, que tem o pai e três tias morando no local, conta que o pai e uma tia-avó precisaram ser removidos ao hospital, mas outra tia não resistiu e morreu.

 

"Foi uma coincidência infeliz. A gente jamais vai saber se tinha alguém contaminado, se foi a baixa imunidade, não tem como saber. Mas não vejo nem nunca vi negligência por parte deles", diz.

 

Entre os trabalhadores, 29 testaram positivo e 12, negativo. A secretaria requisitou ao proprietário, por meio de um termo de notificação, que afastasse imediatamente todos os funcionários com sintomas gripais.

 

Na averiguação, a SMS também encontrou irregularidades como o uso de copo de vidro em bebedouros e a utilização de toalhas de tecido nos banheiros, entre outros pontos que estão em desacordo com o Plano de Contingência de ILPIs.


Leia a nota da instituição


"A instituição desde o inicio da pandemia vem adotando as todas as medidas preventivas. As pessoas idosas foram vacinadas no dia 27 de janeiro e, 48 horas após, começaram a apresentar sintomas como febre e dor no corpo, que, no primeiro momento, se pensou em efeito pós-vacinal (médico e a vigilância epidemiológica), ficaram sendo monitorados.

 

No dia 01/02 uma idosa necessitou ser hospitalizada vindo a falecer com exame covid positivo. Após o resultado foi informado a Secretaria de saúde e os familiares sobre o surto de covid na instituição

 

Muitas pessoas idosas que apresentaram exame covid positivo não apresentaram nenhum sintomas. Havia 73 pessoas idosas, onde 08 evoluíram a óbito.

 

A instituição atende pessoas idosas fragilizadas, representando mais de 60% dos hóspedes, muitos em cuidados paliativos, sendo a abordagem em conjunto com os familiares. Nos últimos 4 anos a média de morte anual na instituição foi de 21 pessoas."

Fonte: G1

Mais notícias desta categoria

Publicidades