Publicidades

04/09/2021 | 05:56 | Saúde

Governo prevê imunizar todos os adultos contra covid-19 em outubro, mas 25 milhões ainda não tomaram primeira dose no BR

Cumprimento da meta do Ministério da Saúde exige aumento do ritmo diário de aplicações

País vacinou mais de 132 milhões de pessoas até essa sexta-feira - Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

O cronograma de vacinação contra o coronavírus do governo federal, reafirmado nesta semana pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, tem desafios para cumprir a meta de imunizar por completo toda a população adulta do país até o final de outubro.

Um dos obstáculos é atender 25 milhões de pessoas acima de 18 anos que, pelos registros oficiais, ainda não tomaram a primeira aplicação.

– Nossa campanha de vacinação é um case de sucesso mundial. Já vacinamos mais de 70% da população brasileira adulta com a primeira dose e, até o fim de outubro, toda a população adulta estará vacinada com a segunda – garantiu Queiroga durante o lançamento de iniciativas voltadas ao tratamento de doenças raras na terça-feira (31).

Conforme os dados oficiais da plataforma LocalizaSUS, 132,7 milhões de brasileiros maiores de idade haviam recebido pelo menos uma rodada de imunizante até a tarde desta sexta-feira (3), entre uma população “vacinável” de 158 milhões. Os 25 milhões restantes ainda não tiveram registro da dose inicial e precisam dar a largada no esquema vacinal.

Mesmo que o intervalo entre as injeções de Pfizer e AstraZeneca seja reduzido para oito semanas, como também anunciou o ministério, seria preciso que todo o universo de pessoas ainda não vacinadas recorresse a uma unidade de saúde no máximo até 5 de setembro para ter a chance de completar o esquema até o final de outubro. Mas a medida ainda não tem dia certo para entrar em vigor.

Outro desafio é se o país terá vacina suficiente para atender toda a demanda remanescente de 118,9 milhões de primeiras e segundas doses para os adultos, além de contemplar os 18 milhões de adolescentes até 12 até 17 anos que serão integrados à campanha neste mês e os 14 milhões de idosos acima de 70 anos, conforme projeção populacional do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para este ano, que ganharam direito a uma terceira injeção.

Ainda não há como responder a essa pergunta porque o Ministério da Saúde prevê a entrega de 64,6 milhões de doses em setembro – 4,6% a menos do que em agosto – mas ainda não tem estimativa para outubro. O painel do governo prevê um total de 226,7 milhões no último trimestre deste ano, mas sem especificar a disponibilidade em cada mês.

Procurado por GZH, o ministério informou que está detalhando a previsão específica para outubro, que deverá ser divulgada nos próximos dias. Mas, somente para cumprir a meta de vacinar todos os adultos, mesmo sem levar em conta a nova demanda de adolescentes e idosos, o país já precisará acelerar o ritmo diário de imunização para ter alguma chance de alcançar o objetivo anunciado no próximo mês.

– Tendo vacinas suficientes, temos condição de ampliar o número de pessoas vacinadas (por dia), mesmo incluindo os adolescentes. Mas já soubemos de novo atraso nas entregas da Fiocruz, e precisamos levar em conta que há um percentual de pessoas que não vão se vacinar de qualquer forma, algo em torno de 5% – afirma o presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Juarez Cunha, fazendo referência a um anúncio da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) de que a falta de insumos importados impedirá novas entregas até 13 de setembro.

Para contemplar todos os adultos que ainda precisam de uma ou duas injeções, seria preciso elevar a média de imunização em 23% e beneficiar pouco mais de 2 milhões de brasileiros maiores de 18 anos por dia em setembro e no mês que vem. Em agosto, esse patamar ficou pouco acima de 1,6 milhão.

 – Temos 38 mil salas de vacinação, com capacidade de aplicar até 2,4 milhões de vacinas ao dia. Por isso, o programa de imunização brasileiro é reconhecido internacionalmente – argumentou Queiroga em entrevista ao programa de rádio A Voz do Brasil em 19 de agosto, quando anunciou pela primeira vez o plano antecipar a imunização dos adultos de dezembro para outubro. 

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades