Publicidades

02/06/2022 | 06:17 | Saúde

Todas as regiões covid do Estado recebem avisos pela terceira semana seguida

Em três semanas, houve um salto de 60% entre confirmados e suspeitos internados em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Estado

Reprodução internet

Pela terceira semana consecutiva, o governo do Estado emitiu novos avisos às 21 regiões covid no Sistema 3As de Monitoramento. O alerta ocorre devido ao rápido aumento de casos de covid-19 e de internações. 

Nas três semanas mais recentes, os casos fizeram duplicar o número de internados em leitos clínicos, entre suspeitos e confirmados. Em 9 de maio, eram 341 pacientes. Já em 31 de maio, eram 737. Houve ainda um salto de 60% entre confirmados e suspeitos internados em Unidade de Terapia Intensiva (UTI),  passando de 134, em 9 de maio, para 215, em 31 de maio.

O contágio acelerado também já traz reflexos ao número de óbitos causados pela doença. No início de maio, a média móvel diária de óbitos diários no Rio Grande do Sul era de quatro. Na última semana do mês, subiu para oito.

Coordenada pelo governador Ranolfo Vieira Júnior, a reunião do Gabinete de Crise ocorreu nesta quarta-feira (1º/6).  A primeira emissão de maio ocorreu depois de nove semanas sem envio de avisos ou alertas no âmbito do Sistema 3As de Monitoramento da pandemia.  

— Estamos diante de um momento em que várias doenças, não só a covid-19, estão circulando, contaminando e causando superlotação de emergências e urgências, e um número alto de casos envolvendo crianças e de idosos — alertou a secretária da Saúde, Arita Bergmann.

O governo do Estado reforça, mais uma vez, a importância de que a população busque a dose de reforço e a segunda dose da vacina contra a covid-19. Cerca de 80% da população residente no Rio Grande do Sul está com o esquema vacinal primário (duas doses) completo, mas apenas 53,9% tomou a dose de reforço, completando o esquema vacinal. A vacinação contra a influenza, outra doença que compromete o sistema respiratório, é também vista como fundamental pelo Gabinete de Crise.

Uso de máscara é recomendado

Além da imunização, o governo do Estado ressalta a importância do uso da máscara como prevenção contra a covid-19. Embora não seja mais obrigatória, o uso segue recomendado em casos específicos, como em hospitais, serviços de saúde e farmácias (mesmo que em ambientes externos), no transporte público e em situações de aglomeração, especialmente por pessoas com saúde debilitada ou que pertençam a grupos de risco. O uso da máscara também se faz indispensável quando da apresentação de sintomas respiratórios, especialmente em ambientes fechados.

Vacinação contra covid-19 em atraso

Para auxiliar os municípios e as regiões a incentivar a vacinação contra a covid-19, o GT Saúde elaborou uma tabela que mostra as doses em atraso por região Covid. Os destaques negativos são a região de Novo Hamburgo, na qual 10,3% da população com mais de cinco anos não tomou a segunda dose, e a região de Taquara, com 45,1% da população em atraso na busca pela dose de reforço.

O GT Saúde esclarece que a imunização e o uso de máscaras em locais fechados, especialmente quando da apresentação de sintomas, podem amenizar a passagem do inverno no Rio Grande do Sul, diminuindo a contaminação não só pela covid-19, mas também por outras doenças respiratórias.

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades