Publicidades

07/11/2020 | 05:30 | Esporte

Goleiro que abandonou as traves pela construção civil volta aos campos: ''O futebol é o meu lugar''

Leonardo Konzen, que ilustrou reportagem sobre o fim das competições, acertou seu retorno ao esporte, no Santa Cruz

Leonardo faz parte do Santa Cruz - Guilherme Athayde / Divulgação

Leonardo Konzen apareceu em GZH, em setembro, trabalhando na construção civil. Pintando muros, reformando residências, o jovem de 24 anos se virava para ajudar no sustento da família, composta pela mulher e por uma filha recém-nascida. Era a nova realidade para o homem que, até então, tinha passado a vida defendendo embaixo das traves, rodando o Interior como goleiro. Mesmo naquela época dura, mantinha a esperança de voltar a jogar, de realizar seu sonho, viver do futebol. Há algumas semanas, foi contatado pelo Santa Cruz, rival do Avenida, clube no qual iria disputar a Divisão de Acesso. Acertou seu retorno aos gramados e reacendeu a esperança no futuro da profissão, a partir da Copa Ibsen Pinheiro.

 

Ele fazia parte do grupo de quase 90% dos jogadores de clubes menores que precisaram encontrar empregos fora do esporte para conseguir sobreviver a um 2020 sem futebol no Rio Grande do Sul. Felizmente para Leonardo, conseguiu se realocar e agora passa os dias treinando no Estádio dos Plátanos, ao lado dos companheiros Fabiano Heves e Guilherme Medina, seus concorrentes pela camisa 1. Foi depois de um treino que o goleiro — e não mais trabalhador da construção civil — atendeu a reportagem.


O futebol renasceu no Rio Grande do Sul


Ele fazia parte do grupo de quase 90% dos jogadores de clubes menores que precisaram encontrar empregos fora do esporte para conseguir sobreviver a um 2020 sem futebol no Rio Grande do Sul. Felizmente para Leonardo, conseguiu se realocar e agora passa os dias treinando no Estádio dos Plátanos, ao lado dos companheiros Fabiano Heves e Guilherme Medina, seus concorrentes pela camisa 1. Foi depois de um treino que o goleiro — e não mais trabalhador da construção civil — atendeu a reportagem.


Como foi o acerto com o Santa Cruz?


O clube resolveu que ia disputar a Copinha, e o técnico, o William Campos, falou que o objetivo era buscar uma vaga na Copa do Brasil. Então eles procuraram atletas, da região e de fora, e eu fui um deles. Aceitei na hora.

 

E o emprego antigo?


Pedi um tempo na empresa para voltar ao futebol. É uma empresa familiar, de um parente da minha esposa. Ele entendeu de boa, sabe que é meu sonho jogar futebol e que almejo chegar em um time grande.


Como foi o acerto com o Santa Cruz?


O clube resolveu que ia disputar a Copinha, e o técnico, o William Campos, falou que o objetivo era buscar uma vaga na Copa do Brasil. Então eles procuraram atletas, da região e de fora, e eu fui um deles. Aceitei na hora.

 

E o emprego antigo?


Pedi um tempo na empresa para voltar ao futebol. É uma empresa familiar, de um parente da minha esposa. Ele entendeu de boa, sabe que é meu sonho jogar futebol e que almejo chegar em um time grande.  

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades