Publicidades

06/12/2020 | 20:26 | Esporte

Inter empata com o Atlético-MG no fim e segue no G-6 do Brasileirão

Resultado no Mineirão tirou o time colorado do G-4

Alessandra Torres / AGIF/Estadão Conteúdo

Se é verdade que o Inter não vence no Brasileirão desde 18 de outubro, também precisa ser dito que o empate deste domingo (6), no Mineirão, pode renovar as esperanças coloradas. O time buscou um 2 a 2 depois de sair na frente e levar a virada. A queda até se vê, o time que era líder, ocupa, agora, a sexta posição. No meio da semana, precisa vencer o Boca Juniors, em La Bombonera, para seguir adiante na competição continental.


Sem Abel Braga na casamata, atendendo a um pedido de seu médico, apesar de já ter negativado para covid-19, Leomir Souza misturou titulares e reservas, já pensando na quarta-feira. Foi com essa mescla que apareceu a oportunidade para Lucas Ribeiro, enfim, fazer sua estreia na zaga, ao lado de Cuesta. Rodinei voltou à lateral direita. No meio, Dourado e Musto na frente da área, Marcos Guilherme e Patrick pelos lados, e na frente Yuri Alberto e Leandro Fernández. No Atlético-MG, Sampaoli montou uma espécie de 3-4-3, liberando seus alas para se juntar à frente. 


O jogo começou com o time da casa comandando as ações e o Inter esperando. A linha de marcação ficava antes do meio-campo. Yuri Alberto era o responsável por recompor pelo lado esquerdo.

 

Aos dois minutos, o Atlético-MG quase abriu o placar. Após jogada iniciada no campo de defesa, Guilherme Arana se apresentou e chutou cruzado. A bola passou a centímetros da trave.

 

Na primeira tentativa organizada do Inter de atacar, gol. Aos oito, Marcos Guilherme recebeu pela direita, olhou para a área e fez um cruzamento na medida para Yuri Alberto, como centroavante, testar forte, para baixo, sem chance para Everson.

 

O placar devolvia o Inter ao G-4, mas mal deu tempo de consultar a tabela do Brasileirão. Dois minutos depois do gol, o Atlético-MG foi à frente. Cuesta e Sasha dividiram, a bola sobrou para Réver, que tentou cruzar. Musto interceptou, mas acabou colocando na própria rede: 1 a 1. 

 

O empate não melindrou o Inter, desta vez. O time seguia marcando o Galo a partir de seu meio-campo e apostava em saídas de Yuri e Marcos Guilherme. O problema é que os dois precisavam voltar muito para acompanhar os laterais atleticanos. Ainda assim, foi de Yuri a jogada de perigo que virou polêmica. 
O atacante colorado correu pela faixa esquerda quase o campo inteiro, entrou na área e tentou driblar Igor Rabello, que, de fato, acertou de leve suas pernas. O colorado saltou, pedindo pênalti. O árbitro considerou que o choque foi casual e não o suficiente para derrubá-lo. Na reclamação, Marcos Guilherme levou cartão amarelo.

 

Aos 39, o Atlético-MG voltou a assustar. Keno foi lançado às costas da zaga, driblou Rodinei e chutou cruzado. Vargas completou para as redes, mas estava claramente impedido. O mesmo Vargas, no lance seguinte, recebeu na corrida, superou Lucas Ribeiro e desviou de Lomba. Para a sorte do Inter, a bola passou ao lado trave.

 

No segundo tempo, Leomir trocou os volantes. Musto, que já tinha amarelo, deu lugar a Lindoso.  

 

Nos 10 primeiros minutos, o Inter controlou o Atlético-MG, inclusive aumentando sua posse de bola. Faltava a qualidade para atacar melhor, já que o time até chegava à frente, mas não conseguia cruzar ou concluir. 

 

O Galo só levou perigo aos 11. Keno cruzou da esquerda, Vargas, no segundo pau, cabeceou para o meio da área, Lomba ficou observando e Sasha, também de cabeça, arrematou para fora, já na área pequena.

 

Aos 15, a virada. De novo, Keno teve liberdade pela esquerda e cruzou. Uendel ficou olhando a entrada de Hyoran, que desviou de cabeça e venceu Lomba.

 

Imediatamente, Leomir mandou a campo Thiago Galhardo, na vaga de Fernández (pouco antes, Praxedes havia substituído Rodrigo Dourado).

 

A virada até não abalou tanto o Inter, que chegou a assustar duas vezes o Atlético-MG. Na primeira, Praxedes enfileirou os marcadores e lançou Galhardo, que fez um bom cruzamento rasteiro. Dois zagueiros e Yuri Alberto se atiraram na bola, mas nenhum deles alcançou. Na segunda, Lindoso tentou de fora da área, a bola desviou em Rever e passou perto da trave.

 

Aos 29, outra boa oportunidade. Após trama pelo lado direito, Galhardo ficou livre, pelo lado direito, e encheu o pé. Everson espalmou.

 

Leomir ainda tentou dar mais fôlego e juventude ao ataque, com Maurício e Peglow entrando, saindo Marcos Guilherme e Yuri Alberto. Os dois foram decisivos para o empate. Maurício, talvez até meio sem querer, interceptou um chute de Igor Rabello e Peglow aproveitou a sobra. Entrou frente a frente com o goleiro e empatou. 

 

A vitória não vem faz quase dois meses no Brasileirão. Mas o empate no Mineirão pode ser um sinal de reação.

 

Brasileirão — 24ª rodada — 6/12/2020
Atlético-MG (2)

Everson; Guga, Réver, Igor Rabello, Gabriel e Guilherme Arana; Allan e Hyoran (Zaracho, 31'/2ºT); Eduardo Vargas (Marrony, 31'/2ºT), Sasha (Alan Franco, 25'/2ºT) e Keno (Nathan, 37'/2ºT).
Técnico: Jorge Sampaoli

 

Inter (2)
Marcelo Lomba; Rodinei, Lucas Ribeiro, Cuesta e Uendel; Rodrigo Dourado (Praxedes, 13'/2ºT) e Musto (Lindoso, int.); Marcos Guilherme (Maurício, 29'/2ºT) e Patrick; Leandro Fernández (Thiago Galhardo, 17'/2ºT) e Yuri Alberto (Peglow, 29'/2ºT).
Técnico: Leomir Souza

 

Gols: Yuri Alberto (I) aos 8, Musto (contra para o Atlético-MG) aos 10 minutos do primeiro tempo; Hyoran (A) aos 15, e Peglow, aos 43 minutos do segundo tempo.


Cartões amarelos: Musto, Marcos Guilherme, Yuri Alberto, Lucas Ribeiro, Lindoso (I); Hyoran, Igor Rabello (A)
Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte


Arbitragem: Bruno Arleu de Araujo (RJ), auxiliado por Rodrigo Figueiredo Henrique Corrêa (RJ) e Thiago Henrique Neto Corrêa Farinha (RJ). VAR: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)

 

Próximo jogo
Libertadores — oitavas de final (volta)
9/12/2020 — 21h30min
Boca Juniors x Inter

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades