Publicidades

12/12/2020 | 21:07 | Esporte

Inter vira com gol inusitado e vence o Botafogo pelo Brasileirão

Time de Abel Braga quebrou sequência negativa e se manteve no G-6

Jefferson Botega / Agencia RBS

Em partida marcada por um gol confuso, quase inacreditável tamanha a desatenção, o Inter venceu o Botafogo e voltou a entrar na zona de classificação à Libertadores de 2021. O 2 a 1, gols de Patrick e Yuri Alberto (Pedro Raul descontou), foi a primeira vitória da equipe sob comando de Abel Braga no Brasileirão e no Beira-Rio.

 

O time que ganhou do Boca Juniors no tempo normal (mas caiu da Libertadores) nos pênaltis foi praticamente repetido, como era esperado. Apenas Praxedes, que jogou pela seleção sub-20, ficou fora, sendo substituído por Yuri Alberto. Com essa alteração, Galhardo recuou um pouco e Yuri foi escalado como centroavante.

 

Os primeiros 10 minutos da partida foram amarrados, lentos, com excessos de passes entre zagueiros e volantes dos dois times. Essa falta de verticalidade deixou o jogo sem criatividade e sem força física. Tanto que a primeira conclusão só saiu depois de uma sequência de erros. O Botafogo saiu atrapalhado no campo de defesa, Marcos Guilherme recuperou e Galhardo pegou a sobra. Ele passou a Patrick, que tentou chutar e foi travado. A bola ficou pingando  e Yuri Alberto se atirou para concluir, mas para fora.


Quase 10 minutos se passaram até que o Inter chutasse novamente. Começou com um escanteio da esquerda, a zaga afastou, Marcos Guilherme cruzou de novo, a zaga afastou, Edenilson voltou a pegar o rebote e passou a Lindoso. Ele cruzou da esquerda e Galhardo bateu, Cavalieri defendeu em dois tempos.

 

O Botafogo levou perigo pela primeira vez aos 22. Honda cobrou falta lateral na direção do gol. Ninguém desviou, e Lomba espalmou.

 

O Inter não se encontrava no campo, não conseguia nem diminuir o espaço dos visitantes. Resultado: gol do Botafogo. Aos 28 minutos, depois de uma cobrança de escanteio, a defesa cortou parcialmente, Zé Welison ganhou a dividida e cruzou. Pedro Raul, livre, cabeceou e venceu Lomba.

 

No minuto seguinte, a falta de sorte seguiu assombrando o Inter. Moisés avançou pela esquerda e cruzou. Yuri e Galhardo se passaram, mas a bola apareceu para Edenilson, que concluiu no canto. Caprichosamente (e até maldosamente), a bola bateu na trave, no goleiro e não entrou.

 

Aos 36, porém, nem a má sorte impediu o empate. Moisés, de novo, apareceu bem pela esquerda e bateu na direção do gol. Mais uma vez, a bola explodiu na trave e no goleiro. Desta vez, porém, Patrick pegou o rebote e chutou para o gol. Helerson, zagueiro do Botafogo ainda tentou salvar, mas a bola já tinha cruzado a linha: 1 a 1.


Pouco antes do intervalo, o Botafogo teve boa chance de voltar à frente. De novo em rebote de escanteio, Kevin bateu a gol, a bola bateu em Pedro Raul e sobrou para o zagueiro Helerson, que se precipitou e chutou, mas muito longe da meta.

 

Para tentar melhorar no segundo tempo, Abel trocou Lindoso e Rodinei por Dourado e Heitor. As duas trocas, porém, pouco adiantaram nos cinco minutos iniciais, já que o time seguiu lento, burocrático e sem criatividade.

 

A falta de qualquer ação ofensiva fez o treinador mexer novamente na equipe, aos 13. Caio Vidal entrou no lugar de Marcos Guilherme.

 

Empatando em casa com o penúltimo colocado, o Inter só foi levar perigo aos 17. Após troca de passes pela direita, Heitor cruzou com precisão, Yuri Alberto desviou de cabeça, a centímetros da trave.

 

Aos 22, uma confusão digna do que foi a partida até então. O Botafogo tinha uma falta a seu favor na defesa. O lateral Kevin cobrou e o zagueiro Helerson não viu. Yuri Alberto aproveitou a desatenção e chutou para o gol. Os colorados imediatamente saíram comemorando, os botafoguenses reclamaram. Pressionado, o árbitro apelou para o VAR, trocou ideia com seus pares, pensou e decidiu: gol, Inter 2 a 1.

 

Na sequência, D'Alessandro entrou no lugar de Patrick. No Botafogo, ingressaram Matheus Babi e Rhuan, para tentar mais velocidade e fôlego ao ataque.

 

No final, Peglow foi chamado para a vaga de Yuri Alberto. Apesar da tensão e do sufoco, o Inter resistiu e conseguiu sua primeira vitória no Brasileirão na era Abel Braga.

 

Brasileirão — 25ª rodada — 12/12/2020


INTER (2)
Marcelo Lomba; Rodinei (Heitor, int.), Moledo, Cuesta e Moisés; Lindoso (Dourado, int.), Edenilson e Patrick (D'Alessandro, 27'/2ºT); Marcos Guilherme (Caio Vidal, 13'/2ºT), Yuri Alberto (Peglow, 40'/2ºT) e Thiago Galhardo.
Técnico: Abel Braga

 

BOTAFOGO (1)
Diego Cavalieri; Kevin, Helerson, Kanu e Victor Luis; Zé Welison (Matheus Babi, 32'/2ºT), Caio Alexandre e Bruno Nazário (Éder Bessa, 18'/2ºT); Warley (Rhuan, 32'/2ºT), Honda e Pedro Raul.
Técnico: Eduardo Barroca

 

Gols: Pedro Raul (B), aos 28, Patrick (I), aos 36 minutos do 1º tempo. Yuri Alberto (I), aos 26 minutos do 2º tempo.


Cartões amarelos: Rodinei, Edenilson (I); Diego Cavalieri, Rhuan, Bruno Nazário, Kanu (B)

 

Local: Estádio Beira-Rio
Arbitragem: Caio Max Augusto Vieira, auxiliado por Jean Márcio dos Santos e Vinícius Melo de Lima (trio potiguar). VAR: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG).

 

Próximo jogo
Brasileirão — 26ª rodada
19/12/2020 — 21h
Inter x Palmeiras

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades