Publicidades

31/01/2021 | 20:23 | Esporte

Inter bate o Bragantino e chega a nove vitórias seguidas no Brasileirão

Com gols Patrick e Edenilson, de pênalti, time colorado fez 2 a 1 nos paulistas, no Beira-Rio

Isadora Neumann / Agencia RBS

O Inter bateu o Bragantino por 2 a 1  começo da noite deste domingo (31), no Beira-Rio, e alcançou a nona vitória seguida no Campeonato Brasileiro, algo até então inédito na era de pontos corridos. Patrick, em um belo lance, e Edenilson, cobrando pênalti, marcaram os gols colorados. Helinho anotou para os paulistas. 


Com a vitória, o Colorado vai a 65 pontos e tem cinco de vantagem para o Atlético-MG, que bateu o Fortaleza no Mineirão e assumiu a vice-liderança. O Flamengo entra em campo nesta segunda-feira, às 20h, para encarar o Sport, na Ilha do Retiro. Se vencer, o time carioca irá a 61 pontos e vai retomar a segunda posição

 

O Inter volta a campo na próxima quinta-feira, às 21h, para encarar o Athletico-PR, na Arena da Baixada. A expectativa é de que o artilheiro Thiago Galhardo possa ficar, pelo menos, no banco de reservas. Suspenso pelo terceiro amarelo, Dourado é desfalque.


Com a volta de Caio Vidal, que cumpriu suspensão no Gre-Nal 429, o técnico Abel Braga repetiu a escalação da goleada de 5 a 1 sobre o São Paulo, no Morumbi, há duas rodadas, para receber o Bragantino, que vinha de uma sequência de cinco jogos de invencibilidade. No lado paulista,  Maurício Barbieri teve Weverton como novidade na lateral direita no lugar de Aderlan, que sentiu um problema muscular.

 

Antes de a bola rolar, Abel Braga deu o tom de como esperava o jogo para o Inter.

 

— Temos de ter pés no chão. É um time que marca muito alto, na saída de bola e você não pode errar atrás. Então é preciso até em alguns momentos jogar feio e brigar por primeira e segunda bolas — declarou.

 

Mas parece que Patrick não ouviu as palavras do treinador e tratou de jogar bonito. Muito bonito. Logo aos 4 minutos, após um lateral batido por Rodinei para a área do Bragantino, o camisa 88 deu uma meia-bicicleta e mandou para o fundo das redes para abrir o placar no Beira-Rio.

 

Tão bonito quanto o gol de Patrick foi a defesa que Marcelo Lomba fez aos 12. Após chute Claudinho, Ytalo conseguiu desviar e o goleiro colorado mostrou muito reflexo para dar um tapa na bola e mandar para escanteio evitando o empate.

 

Dois minutos depois, porém, Marcelo Lomba não pôde fazer nada. Em um jogo de lances bonitos, Moisés cometeu uma falha feia e também grave. Na tentativa de cortar um lançamento de Claudinho, ele chutou para trás e a bola caiu nos pés de Artur. Lomba ainda conseguiu abafar em um primeiro momento, mas Helinho aproveitou a sobra e mandou para o gol vazio: 1 a 1

 

Depois do começo empolgante com o golaço de Patrick, o Inter  sofreu para reagir ao empate e enfrentou as dificuldades esperadas por Abel Braga. A estratégia de deixar o adversário ter a posse da bola e contra-atacar, dessa vez, não funcionou. Com constantes movimentações do trio Artur, Claudinho e Helinho e com boas participações de Ytalo nos pivôs, o Bragantino teve superioridade sobre a marcação colorada ao longo do primeiro tempo.

 

Aos 36, Ryller chegou a mandar para as redes, mas o árbitro Sávio Pereira Sampaio viu o toque no braço do jogador visitante na disputa com Rodrigo Dourado e anulou corretamente o gol. Pelo pouco que criou, o Inter não mereceu um resultado melhor que o empate na etapa inicial.

 

No intervalo, o técnico Abel Braga fez duas trocas, uma por opção e outra por necessidade. No meio-campo, Rodrigo Lindoso entrou na vaga de Dourado, que sentiu dores na coxa esquerda. De atuação apagada na primeira etapa, Caio Vidal cedeu lugar a Marcos Guilherme. 

 

O Inter retornou com uma postura mais ofensiva e empurrou o Bragantino para o seu campo. Aos 8, Patrick cruzou e a bola bateu no braço de Weverton. Sávio Pereira Sampaio não percebeu no campo, mas marcou a penalidade após a revisão no VAR. Edenilson cobrou com a mesma categoria que havia mostrado no Gre-Nal e colocou o Colorado em vantagem novamente: 2 a 1.

 

Atrás no placar, o técnico Maurício Barbieri fez mudanças. Primeiro, Ramires e Hurtado entraram nos lugares de Ryller e Ytalo. Depois, Weverson e Tubarão ingressaram por Helinho e Edimar. No lado colorado, Abel colocou Johnny na vaga de Praxedes, que tinha acabado de levar o cartão amarelo. 

 

Em vantagem, o Inter voltou a adotar a postura de marcar perto da sua área e cedeu campo ao Bragantino. O time paulista, porém, não conseguiu repetir o futebol envolvente da primeira etapa e apostou nos cruzamentos para a área colorada. 

 

A reta final foi de tensão no Beira-Rio. Em um dos tantos cruzamentos do Bragantino, Cuesta quase mandou contra o próprio gol. Nos minutos finais, Abel Braga ainda mandou Abel Hernández a campo para ganhar fôlego novo no ataque e também altura para as bolas paradas defensivas. 

 

Aos 44 minutos, Marcelo Lomba fez uma defesa que será lembrada por muito tempo pelos colorados em caso de título brasileiro. De forma arrojada, ele fechou o ângulo e impediu o gol de Raul, que invadiu a área livre. Nos acréscimos, Lomba apareceu outra vez bem para defender uma finalização cruzada de Tubarão. 

 

O Inter teve as dificuldades esperadas e jogou feio em alguns momentos como previsto por Abel Braga, mas garantiu a vitória necessária para alcançar o recorde na área de pontos corridos e dar mais um passo em busca do tetra.

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades