Publicidades

04/02/2021 | 23:01 | Esporte

Inter empata com Athletico-PR e segue líder, mas permite aproximação do Flamengo

Equipe de Abel Braga agora está somente dois pontos à frente dos cariocas na briga pelo título

Ricardo Duarte / Internacional/Divulgação

O Brasileirão está reaberto — se é que em algum dia esteve fechado. A vitória do Flamengo sobre o Vasco reduziu a vantagem do Inter, que ficou no 0 a 0 com o Athletico-PR, fora de casa. Agora, tanto gaúchos quanto cariocas dependem de suas forças para ser campeões, a quatro partidas do fim, já que está marcado um encontro entre os dois na penúltima rodada. No confronto de Curitiba, o equilíbrio foi a tônica, com poucas chances de lado a lado.


Marcos Guilherme foi a principal novidade de Abel Braga para o jogo. O ponteiro ganhou a vaga de Caio Vidal, como o treinador já tinha sinalizado que faria. No lugar de Rodrigo Dourado, suspenso, jogou Rodrigo Lindoso. No Athletico-PR, Paulo Autuori mandou um ataque mais móvel, com Carlos Eduardo fazendo a função mais adiantada.


A partida começou com os donos da casa pressionando, sufocando  os gaúchos. Aos seis minutos, o Inter levou um susto. Nikão foi lançado pelo lado esquerdo, às costas da zaga e cruzou. A bola passou por Lomba, Carlos Eduardo e Cuesta se atiraram, e a conclusão saiu ao lado da trave. Pouco depois, em outra jogada pela ponta, Cuesta quase marcou contra, mas o lance foi anulado por impedimento.


A pressão era intensa, e o Inter escapou de levar o primeiro aos 18, quando mal passava do meio do campo. Um cruzamento para a área foi mal afastado e Léo Cittadini pegou de primeira. A bola explodiu no travessão.

 

Só aos 21 o Inter conseguiu chegar ao ataque. Depois de uma cobrança de escanteio, a defesa cortou, Edenilson recebeu de Marcos Guilherme e fez um lançamento na medida para Moisés, que cruzou para Yuri Alberto completar para a rede. Mas o lateral estava impedido, e o lance foi invalidado.

 

Dois minutos mais tarde, o Inter devolveu o susto no Athletico-PR na mesma moeda. Rodinei ajeitou de fora da área e arriscou. A bola passou por Santos e carimbou a trave. O lateral teve outra chance, cobrando falta que superou a barreira. O goleiro defendeu.

 

Com o jogo mais equilibrado, as defesas levavam vantagem sobre os atacantes. O Inter saiu da postura excessivamente defensiva, passou a retribuir os ataques e por pouco não abriu o placar no último lance. Edenilson fez grande jogada, trouxe para a perna esquerda e cruzou na medida. Praxedes cabeceou a centímetros da trave.

 

Os dois times voltaram sem novidades do intervalo, mas a essa altura o Inter sabia que o Flamengo tinha aberto o placar diante do Vasco, reduzindo a distância na tabela. Por isso, o começo do segundo tempo não foi igual ao início do primeiro, com a pressão do Athletico-PR e a resistência do Inter. Ao mesmo tempo, claramente aumentou o nervosismo, com mais erros e rebatidas, para evitar riscos.

 

Sem emoções e chances criadas, Abel mexeu na equipe na metade da etapa complementar. Saíram Praxedes e Marcos Guilherme, entraram Johnny e Peglow. Autuori respondeu incluindo o centroavante Kayzer e tirando o meia Cittadini. Carlos Eduardo deu lugar a Vitinho.

 

No final, Abel tirou Patrick e colocou Caio Vidal, em um último esforço para ganhar o jogo. Abel Hernández também entrou, na vaga de Yuri Alberto. Lindoso, aparentemente exausto, saiu para o ingresso de Zé Gabriel. A temperatura, porém, não subiu o suficiente para o gol salvador.

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades