Publicidades

03/03/2021 | 18:56 | Polícia

Defesa de padre que cometeu assaltos em Passo Fundo alega momento de surto durante os crimes

Reprodução

A atitude do padre de 28 anos, segue rendendo comentários e avaliações. O padre assaltou três estabelecimentos comerciais em Passo Fundo e acabou preso na noite da última terça-feira (02).

 

O fato repercutiu nacionalmente por se tratar de um padre cometendo crimes, algo muito incomum e que causa espanto em qualquer um. O arcebispo de Passo Fundo, Dom Rodolfo Luís Weber, lamentou o ocorrido em entrevista na Uirapuru.

 

Conforme o arcebispo, as atitudes do padre pegaram todos de surpresa, uma vez que sua conduta sempre foi regular e nunca indicou ter uma ação como essa. Para Dom Rodolfo, fica difícil entender a atitude do padre.


 
Dom Rodolfo afirma que o fato é muito grave do ponto de vista criminal e moral, pois o padre descumpriu o sétimo mandamento que diz não roubar.

 

Como o fato ainda é recente, o arcebispo relatou que possui poucas informações sobre o caso. Dom Rodolfo relatou que a advogada entrou em contato e revelou que o padre estava tendo acompanhamento psiquiátrico. Há três semanas, o sacerdote teria deixado de tomar a medicação por conta própria.

 

De acordo com o arcebispo, isso não justifica o ato criminoso, porém pode ajudar a explicar o que tenha acontecido. O bispo pede que a população evite fazer julgamentos precipitados e que o padre terá que responder sobre seus atos perante a justiça.

 

Do ponto de vista da arquidiocese, Dom Rodolfo explica que o padre está suspenso temporariamente e não pode exercer nenhuma atividade. Após todos os fatos estarem apurado, a Igreja vai definir se o padre será suspenso em definitivo ou não.

 

De acordo com a advogada de defesa do padre, Maura Leitzke, o fato vem gerando muita repercussão e por isso decidiu se manifestar. Conforme ela, é preciso esclarecer que toda pessoa acusada de um crime tem direito a defesa e esclarecer o que aconteceu.

 

Por se tratar de um padre, o caso toma proporções diferentes. A advogada afirma que ele estava em tratamento psicológico e teria deixado de fazer uso da medicação há pelo menos três semana. Isso fez  com que o padre tivesse um surto na noite dos crimes e acabou perdendo o controle. Maura reitera que a conduta do padre nunca foi essa e os crimes não foram premeditados.

 

A advogada disse que o padre está doente, precisa de ajuda e todos os fatos serão esclarecidos.

Fonte: Rádio Uirapuru

Mais notícias desta categoria

Publicidades