Publicidades

23/05/2021 | 18:31 | Esporte

Grêmio empata com Inter na Arena e conquista o tetra do Gauchão

Placar de 1 a 1, com gols de Ferreira e Dourado, garantiu o 40º título Estadual ao time treinado por Tiago Nunes

André Ávila / Agencia RBS

A superioridade tricolor no Estado na década ganhou mais um capítulo neste domingo. Com o empate em 1 a 1 com o Inter (gols de Ferreira e Rodrigo Dourado), o Grêmio conquistou o tetra do Gauchão, seu 40º na história, em razão da vitória no Gre-Nal de ida, no Beira-Rio. E a Arena viu o primeiro de Tiago Nunes no comando, na era pós-Renato.

 

O lado gremista do clássico não teve surpresas. Com Thiago Santos recuperado, Tiago Nunes voltou ao meio-campo, formando o trio com Matheus Henrique e Maicon. Atrás deles, o quarteto Rafinha, Geromel, Ruan e Diogo Barbosa; à frente, Ferreira, Diego Souza e Léo Pereira, mantido na função. A novidade ficou no banco, com a presença de Pepê.


O lado colorado do clássico, ao contrário, teve uma novidade. Cuesta, que Miguel Ángel Ramírez revelou ter atuado com uma infiltração no tornozelo diante do Olimpia, ficou no banco. A zaga colorada foi formada por Lucas Ribeiro e Zé Gabriel. Rodinei voltou à lateral direita, Moisés ficou na esquerda. O meio-campo contou com Dourado, Edenilson e Nonato, e o ataque apresentou Yuri Alberto e Thiago Galhardo juntos, com Palacios completando. 


O Gre-Nal começou como os anteriores. O Inter trocando passes e buscando espaços para chegar à frente, o Grêmio mais direto, recuperando a bola e atacando. Com essa forma mais vertical o time da casa concluiu primeiro. Aos cinco, após cobrança de escanteio, Dourado afastou e Maicon pegou rebote. Seu chute ia na direção do gol, mas explodiu no corpo de Moisés.

 

Depois de o Inter chegar perto em jogada de Palacios que Brenno soube sair para abafar, o Grêmio voltou a levar perigo. Ferreira cobrou escanteio para a área, Diego Souza desviou e Geromel, livre, perdeu a chance por ter passado um pouco da bola.

 

A partir dos 20 minutos, o Inter mudou parte de sua formação em campo. Dourado recuou ainda mais, virou terceiro zagueiro, algo que já ocorria. A novidade foi o deslocamento de Palacios, que deixou de ser ponta e virou um meia avançado, deixando Yuri e Galhardo como dupla de ataque. Esse movimento deu resposta aos 28. Maicon errou um passe pelo lado esquerdo, o Inter recuperou a bola e Palacios recebeu, abriu espaço e bateu, mas para fora.

 

O jogo parecia ter ânimos menos exaltados, com o Inter mais solto no campo quando surgiu um enrosco entre Yuri Alberto e Rafinha. O atacante colorado reclamou de alguma coisa, o árbitro informou que não foi nada, e os dois jogadores se empurraram. Leandro Vuaden simplificou: cartão vermelho para os dois. Foram quatro minutos até que Rafinha e Yuri deixassem o campo, após promessas de briga, gritaria e ameaças. Tiago Nunes mexeu em seu time, para não ficar sem lateral: saiu Maicon, entrou Vanderson.

 

Na volta, o Inter seguiu um pouco melhor e fez Brenno trabalhar. Moisés avançou pela esquerda e cruzou, o goleiro afastou parcialmente, na volta, a bola foi recuada para Rodinei, que bateu e Brenner espalmou. A necessidade do Inter de buscar a vitória e tentar sair na frente antes do intervalo fez o time não tomar providências defensivas. Era uma falta na intermediária, na qual os colorados mandaram todos à frente. Rodinei ergueu para a área, Dourado ganhou por cima, mas a zaga do Grêmio afastou.

 

Matheus Henrique ficou com o rebote e conseguiu achar Diego Souza. O centroavante avançou campo a dentro e deu belo passe para Ferreira pela esquerda. Com calma, o atacante driblou Rodinei e chutou no canto de Marcelo Lomba: 51 minutos do primeiro tempo, Grêmio 1 a 0.

 

As duas equipes voltaram sem alterações do intervalo. E com estratégias definidas: o Inter rondava, rondava, rondava, mas não achava espaço para concluir. Isso porque o Grêmio recuou, foi para sua intermediária e apenas fechava as brechas, esperando para dar o golpe fatal no contragolpe. Na tentativa de mudar o cenário, Ramírez chamou Paolo Guerrero, de volta ao time depois de um mês ausente. Ele entrou no lugar de Edenilson.

 

A primeira participação do peruano foi ruim. Desarmado por Thiago Santos, ele viu o volante do Grêmio correr o campo inteiro e passar a Ferreira, que, desta vez, tomou a decisão errada e perdeu a bola. Mesmo assim, o rebote foi gremista, Matheus Henrique tabelou com Diego Souza, recebeu na área, driblou Nonato e bateu. Lomba espalmou. Na cobrança de escanteio, o goleiro colorado saiu mal, Ruan cabeceou e Guerrero se recuperou para salvar.

 

Percebendo que o espaço estava dado, Tiago Nunes fez uma troca. Entrou Pepê, reabilitado para fazer sua despedida, no lugar de Léo Pereira, aos 19.

 

Dois minutos depois, porém, o Inter voltou ao jogo. Era uma falta da esquerda. Desta vez, Moisés fez um cruzamento perfeito, em curva, no segundo pau. Rodrigo Dourado apareceu sozinho e cabeceou firme, no canto. Tudo igual na Arena.

 

Ramírez fez mais duas trocas quase na sequência: Praxedes e Caio Vidal nos lugares dos dois laterais, Rodinei e Moisés. 

 

A resposta de Tiago Nunes se deu logo depois de Guerrero chutar uma falta na barreira e pegar o próprio rebote para concluir por cima do gol. O técnico gremista fez três trocas: Diego Souza, com suspeita de lesão, saiu para a entrada de Ricardinho, Lucas Silva e Cortez entraraam nas vagas de Diogo Barbosa e Matheus Henrique.

 

O Inter voltou a levar perigo. Caio Vidal avançou pela direita e cruzou para trás, Dourado ajeitou e Palacios bateu. Brenno saltou e fez grande defesa.

 

O Grêmio esteve perto de matar o confronto. Aos 36, Vanderson recebeu nas costas da zaga, ganhou de Palacios e bateu. A bola explodiu no travessão. Em outro contragolpe originado em falta mal cobrada pelo Inter, Ferreira avançou e demorou para definir, perdeu tempo e foi abafado por Lomba.

 

Nos acréscimos, enquanto o Inter mais reclamava pelos cinco minutos o Grêmio perdeu uma chance inacreditável. Pepê fez jogada pela esquerda e deu para Ricardinho, sem goleiro. Talvez pela má qualidade do gramado ou pela desatenção, o fato é que ele errou do gol a dois metros da linha.

 

Ferreira armou ainda uma confusão ao comemorar um carrinho em frente ao banco colorado, provocando quem estava por lá. Na confusão Vuaden expulsou Daniel, que estava no banco.

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades