Publicidades

09/06/2021 | 05:19 | Esporte

Com gols de Neymar e Paquetá, Brasil vence Paraguai, mantém 100% e quebra sequência histórica

Seleção não superava o adversário em Assunção desde 1985

NORBERTO DUARTE / AFP

Foi mais uma rodada de 100% de aproveitamento para a Seleção nas Eliminatórias. Nas seis partidas do time de Tite, seis vitórias. Nesta terça-feira, a vítima foi o Paraguai. Um gol de Neymar no início e outro de Lucas Paquetá ao final manteve o Brasil na liderança, já se encaminhando para mais uma Copa do Mundo, com o 2 a 0. São seis pontos de vantagem sobre os argentinos, segundos colocados. 


Agora, o caminho ao Catar dá um tempo. Saem as Eliminatórias, entra a Copa América, a ser disputada no Brasil, ainda sob polêmica. Se tudo for confirmado, a Seleção volta a campo no domingo, contra a Venezuela.


Em campo, Tite promoveu algumas alterações na comparação com a equipe que havia vencido o Equador no Beira-Rio. A começar pelo gol: no rodízio entre os goleiros, desta vez Ederson foi o escolhido, em vez de Alisson. Do meio para a frente, o técnico optou por dois volantes (Casemiro e Fred) e uma linha de três atacantes mais à frente, com Gabriel Jesus, Neymar e Richarlison. Mais avançado ainda, Firmino.


No desenho, Neymar e Firmino ficaram centralizados, mas livres para se deslocar. Gabriel Jesus partia aberto pela direita e Richarlison na esquerda. Isso facilitou também na hora de recompor, formando duas linhas de quatro jogadores e liberando Neymar e Firmino de funções mais defensivas.

 

O Paraguai teve 170 segundos para tentar pressionar e fazer valer o fator local de um abafa inicial, mesmo que fosse um estádio vazio. Conseguiu um escanteio até. Mas no terceiro minuto, o Brasil atacou pela direita, com Gabriel Jesus, que cruzou, Richarlison não alcançou e Neymar dominou, olhou para o goleiro e colocou a bola na rede: 1 a 0.

 

Os donos da casa tentaram não se abalar e até tiveram uma oportunidade para empatar. Em um rebote de escanteio, Alderete chutou de primeira, de muito longe e muito forte. A bola ainda estava em trajetória de subida quando Ederson voou e espalmou.


Pouco depois, o Brasil esteve perto de ampliar. Em uma trama envolvendo os quatro atacantes, Neymar abriu espaço, Richarlison foi lançado e chegou um instantinho atrasado, acabou dividindo com o goleiro, que salvou.

 

Com Neymar dono das ações, o Brasil só era incomodado esporadicamente. O Paraguai deu apenas outro chute antes do intervalo, bloqueado por Militão. A Seleção administrava, procurava espaços e chegou a fazer o segundo gol no último lance. Richarlison foi lançado às costas da zaga e bateu de pé esquerdo. O problema é que partiu um pouco antes e foi flagrado em impedimento.

 

O Brasil voltou do vestiário com uma troca. Fred, que já havia levado cartão amarelo, deu lugar a Paquetá. A segunda etapa começou como havia se iniciado a primeira. Os paraguaios tentaram uma pressão na base da imposição física, cavando escanteio. 

 

Gustavo Gómez até teve vantagem em um cabeceio, mas Ederson defendeu sem problemas. Os brasileiros, quando tinham a bola, faziam-na circular, procurando espaços e dando ao jogo o ritmo que lhes era mais adequado.

 

Quando verticalizava, a Seleção deixava os paraguaios em apuros. Aos oito, Neymar conduziu, deu um passe sem olhar e deixou Gabriel Jesus em condições de decidir. Seu cruzamento, porém, foi salvo de carrinho pelo zagueiro. Na cobrança de escanteio, Marquinhos antecipou-se à defesa e desviou. A bola saiu a centímetros da trave.

 

Aos 18, o Brasil deixou de matar. Gabriel Jesus armou da direita para o meio, entregou de presente para Neymar, que, de dentro da área, bateu de pé esquerdo, mas para fora. Sete minutos mais tarde, outra chance parecida. Mas desta vez quem avançou foi Richarlison. Na velocidade, deixou um defensor para trás. Na hora de concluir, Gustavo Gómez deu um carrinho perfeito e salvou os donos da casa.

 

Pouco depois, Tite fez sua segunda troca, visando um reforço no meio-campo. Firmino, apagado, deixou o gramado, dando lugar a Douglas Luiz. Com isso, Neymar ficou um pouco mais adiantado, mas sem uma dupla na referência.

 

No final, Tite trocou os dois extremas, Richarlison e Gabriel Jesus, por Everton Cebolinha e Gabigol. Nos acréscimos, Neymar fez grande jogada pelo meio e presenteou Paquetá. De primeira, o jogador do Lyon decidiu o jogo: 2 a 0. Os 100% estão mantidos, a vaga ao Catar está próxima.

 

ELIMINATÓRIAS — 8ª RODADA — 8/6/2021

 

PARAGUAI (0)
Silva; Rojas (Espinola, 15'/2ºT), Junior Alonso, Gustavo Gómez; Alderete, Giménez (Avalos, 15'/2ºT), Cardozo (Bareiro, 34'/2ºT), Villasanti (Óscar Romero, 27'/2ºT) e Arzamendia; Almirón e Ángel Romero (Samudio, 34'/2ºT)
Técnico: Eduardo Berizzo

 

BRASIL (2)
Ederson; Danilo, Militão, Marquinhos e Alex Sandro; Casemiro, Fred (Paquetá, int.); Richarlison (Everton Cebolinha, 36'/2ºT), Neymar, Gabriel Jesus (Gabigol, 36'/2ºT); Firmino (Douglas Luiz, 27'/2ºT)
Técnico: Tite

 

GOL: Neymar (B), aos três minutos do primeiro tempo; Lucas Paquetá (B), aos 47 minutos do segundo tempo.
CARTÕES AMARELOS: Gustavo Gómez, Bareiro, Junior Alonso, Alderete (P); Fred, Gabriel Jesus (B)
LOCAL: Defensores del Chaco, Assunção
ARBITRAGEM: Patricio Loustau, auxiliado por Ezequiel Brailovsky e Gabriel Chade.
VAR: Mauro Vigliano

 

PRÓXIMO JOGO
COPA AMÉRICA (1ª RODADA)
13/6 — 18H
BRASIL X VENEZUELA

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades