Publicidades

20/06/2021 | 18:04 | Esporte

Sob o olhar de Aguirre, Inter empata com Ceará no Beira-Rio

Colorado abriu o placar com gol de Edenilson, mas Lima definiu 1 a 1 em cobrança de falta

Mateus Bruxel / Agencia RBS

Sob o olhar de Diego Aguirre, que chegou a Porto Alegre depois de ter vindo de carro de Montevidéu a tempo de ver o jogo, o Inter empatou com o Ceará em 1 a 1, gols de Edenilson, de pênalti, e Lima, de falta. Foi a sexta partida sem vitória no Beira-Rio. São apenas dois pontos em casa no Brasileirão, após cinco rodadas.


Em sua despedida, Loss apresentou uma surpresa no meio-campo. Para substituir o lesionado Taison, Lucas Ramos foi o escolhido. Lindoso entrou na primeira função do meio. No aquecimento, Moisés sentiu um desconforto e deu lugar a Léo Borges. Na frente, outra mudança: em vez de deixar apenas um centroavante e deslocar Yuri Alberto para o desgaste da ponta, transformou em uma dupla, com o camisa 11 e Galhardo juntos. 

 

O começo do jogo foi de susto, como na partida passada, contra o Atlético-MG. Mendoza ganhou de Lucas Ribeiro e cruzou para trás, Lima chegou batendo, sozinho, mas isolou. 


A resposta colorada teve a marca de Yuri Alberto. Eram quatro minutos quando o atacante acreditou em um chutão para a frente e contou com a indecisão de Gabriel Dias e Vinicius Machado. O goleiro, apavorado, deu um carrinho violento, jogou tudo para cima. Falta. Após revisão no VAR, ficou claro que a infração havia sido cometida dentro da área. Pênalti. Edenilson, já aos sete, cobrou com a categoria habitual e transformou em gol: 1 a 0.

 

O Ceará chegou a empatar o jogo aos 14. Em escanteio cobrado da esquerda, Messias cabeceou para o gol e venceu Daniel. O árbitro, porém, interrompeu porque percebeu que o zagueiro cearense cometeu falta, quase subindo em Cuesta para ter vantagem. Outro lance de perigo dos visitantes também ocorreu em escanteio. A bola cruzou toda a área e Saulo desviou para fora. 

 

O Ceará era superior e chegou a ter um pênalti marcado a seu favor. Mas foi uma confusão tão grande que fica difícil até descrever. Em um contra-ataque pela direita, Mendoza ganhou na corrida de Lucas Ramos, entrou na área e cruzou. Edenilson deu um carrinho para impedir o cruzamento e a bola bateu em seu braço, abaixo do corpo. 

 

O lance foi praticamente igual ao do pênalti marcado e desmarcado em Inter x Corinthians, última rodada do Brasileirão 2020. O árbitro não marcou pênalti, mas ficou olhando para seus auxiliares enquanto era cercado pelos jogadores do Ceará. Simplesmente parou o jogo, com a bola sob controle de Daniel. 

 

O bandeira sinalizou que não era. O quarto árbitro, aparentemente, disse que era. Pênalti marcado. O VAR chama, Diego Pombo Lopez revisa e cancela a marcação.

 

A superioridade dos visitantes virou gol aos 45. Heitor cometeu uma falta na entrada da área. Lima cobrou com perfeição, por cima da barreira, a bola bateu no travessão, no chão e pingou depois da linha: 1 a 1.

 

Pouco antes do intervalo, Galhardo perdeu uma chance clara de recolocar o Inter na frente. Pior, em cena quase igual à que havia perdido na quarta-feira. Um erro do zagueiro do Ceará, que recuou mal a bola para o goleiro encontrou o atacante colorado posicionado. 

 

Ele chegou antes de Vinicius Machado, conseguiu jogar por um lado e buscar do outro. Estava sem goleiro. Mas chutou fraco e Gabriel Lacerda bloqueou sem grandes esforços. Ainda deu tempo para o Inter escapar da virada, com Messias cabeceando sozinho cobrança de escanteio, para fora.

 

O segundo tempo começou com o Ceará tendo uma chance claríssima. Saulo foi lançado às costas de Cuesta, ganhou espaço e cruzou. Mendoza antecipou Heitor e desviou de cabeça, sozinho, para fora.

 

Depois de uma trapalhada defensiva que recuou uma bola difícil, mas que Daniel conseguiu consertar, o Inter chegou aos cinco. Lucas Ramos puxou contra-ataque e passou para Yuri, que tentou sozinho e bateu por cima.

 

Desorganizado, o Inter permitia contragolpes a todo momento. O Ceará conseguiu chegar em poucos passes ao ataque, Lima serviu Saulo. Cara a cara com Daniel, porém, ele bateu para fora. Sem reação de seus jogadores, Osmar Loss fez duas trocas: entraram Mauricio e Caio Vidal, saíram Galhardo e Lucas Ramos. O time voltou a atuar no 4-1-4-1.

 

Nada disso deu resultado. Vendo só o Ceará criar, o interino propôs mais duas trocas. Peglow, que dia desses fez até despedida, ficando sozinho no campo depois de um jogo, já que estaria sendo negociado com o Porto B, e Nonato foram chamados. Saíram Heitor e Léo Borges. Patrick e Edenilson acabaram deslocaram para as laterais. No finalzinho, Vinícius Mello ainda entrou para tentar uma cabeçada que fosse.

 

Com a gurizada em campo, o Inter foi para o tudo ou nada. Mas esbarrou na falta de qualidade, de experiência e de organização e pode até agradecer por ter terminado em igualdade. Só não perdeu o jogo porque Daniel fez grande defesa no final. 

 

Aguirre vai ter trabalho.

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades