Publicidades

15/07/2021 | 23:33 | Esporte

Inter fica no 0 a 0 com Olimpia e terá de vencer no Beira-Rio para avançar na Libertadores

Colorado decidirá seu futuro na competição na próxima quinta-feira (22) em Porto Alegre

Ricardo Duarte / Internacional / Divulgação

Para se classificar às quartas da Libertadores, o Inter precisará fazer algo que não faz há seis partidas: ganhar. Em Assunção, diante do Olimpia, ficou no 0 a 0 no jogo de ida das oitavas. Como o gol fora de casa é critério de desempate, são os paraguaios que jogam pela igualdade (desde que haja gols) no Beira-Rio, na quinta que vem. Novo 0 a 0 dá pênaltis.

Aguirre não apresentou surpresas no time. Nos lugares dos lesionados Saravia e Taison, entraram Heitor e Boschilia, este último titular pela primeira vez desde a lesão no ligamento em outubro do ano passado.

O início da partida teve um Inter tentando se impor diante de um adversário que não disputava uma partida oficial desde 30 de maio. Nos primeiros cinco minutos, teve total controle da posse de bola e buscava espaços. Conseguiu a primeira conclusão com Moisés, subindo de cabeça após cobrança de falta da direita, mas sem perigo.

O Olimpia respondeu aos oito. Pitta teve espaço na intermediária e arriscou, a bola passou à direita de Daniel. Depois desse lance, o jogo diminuiu de ritmo. Foram basicamente 20 minutos de superioridade das defesas sobre os ataques e de erros de decisão. 

Só aos 28 o Inter voltou a concluir na direção do gol. Dourado deu um bom passe de primeira para Boschilia, que esticou a Caio Vidal. O atacante cortou para dentro e chutou, Aguilar espalmou para escanteio. Na sequência, o melhor lance da partida. A zaga do Olimpia afastou a cobrança para a entrada da área, Caio Vidal pegou de primeira, a bola ia para o ângulo e Aguilar voou para salvar.

O problema é que depois desse lance, o Inter não manteve o ritmo mais forte, que poderia levar ao gol. Seguiu trocando golpes, em um jogo de intermediária a intermediária. Isso permitiu ao Olimpia dar os últimos chutes do primeiro tempo. Em trama pela esquerda, Derlis González bateu no canto e Daniel pegou. Nos acréscimos, Cuesta cortou parcialmente um cruzamento e Pitta pegou de primeira. Daniel salvou.

O Inter voltou do vestiário com uma troca: saiu Boschilia, entrou Johnny. A segunda etapa começou parecida com o final da primeira. O Olimpia ficou mais corajoso e levou perigo no quarto minuto. Pitta fez boa jogada, cruzou, Heitor afastou e Ojeda pegou o rebote, mas concluiu para fora. 

Aos oito, nova chance. Uma falta quase do meio do campo, frontal, cobrada para a área, encontrou Daniel fora de posição. Ainda assim, o goleiro colorado conseguiu se recuperar e tirar com a ponta dos dedos, Yuri Alberto cortou a rebatida antes que chegasse a algum atacante. A primeira finalização do Inter foi aos 12. Yuri fez um pivô na medida para Patrick, que cruzou. Caio Vidal, sozinho, cabeceou para fora.

Aos 18, o Olimpia esteve perto de fazer o gol. Começou em mais um erro de Patrick, que em um três contra dois, deu o passe para o jogador marcado. O time paraguaio partiu para o contra-ataque, Silva deixou Recalde na cara do gol. Ele cortou Heitor e chutou, Daniel fez grande defesa.

Outra chance clara do Olimpia ocorreu aos 28. Cobrança de escanteio para o Inter. A zaga cortou, Moisés levou um balãozinho no rebote e o time paraguaio partiu para o contragolpe. González deixou Heitor deitado e passou para Salazar, que chegou caindo e perdeu o gol quase sem goleiro.

A equipe colorada foi levar perigo a Aguilar apenas aos 35. Edenilson cobrou em direção ao gol uma falta no bico da área, mas o goleiro espalmou. Aguirre, que reclama tanto da sequência de jogos, não fez qualquer troca até os minutos finais. 

A partida se arrastou sem que o Inter oferecesse perigo. Mas também sem correr muitos riscos. Resolveu, pelo visto, apostar tudo no Beira-Rio.

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades