Publicidades

18/07/2021 | 22:40 | Esporte

Com gol de Galhardo, Inter bate o Juventude e encerra sequência sem vitória no Beira-Rio

Colorado ficou oito jogos sem ganhar em casa, desde o confronto com o time de Caxias em 8 de maio pelo Gauchão

Marco Favero / Agencia RBS

Acabou. A maior série sem vitórias da história do Beira-Rio, empatada com 1983, foi encerrada em 18 de julho de 2021. Pela 12ª rodada do Brasileirão, o Inter venceu o Juventude por 1 a 0, gol de Thiago Galhardo. Com o resultado, o time de Diego Aguirre se afastou da zona de rebaixamento e agora terá tranquilidade para enfrentar o Olimpia, pelas oitavas de final da Libertadores.

Aguirre havia alertado que precisaria rodar o time em razão do desgaste das tantas partidas, e assim o fez. Mas seu rodízio nem foi tão grande assim, na comparação com a equipe que enfrentou o Olimpia. Na defesa, trocou apenas Paulo Victor por Moisés, na lateral esquerda. No meio-campo, Dourado deu lugar a Lindoso, e Taison voltou à função mais ofensiva. 

Edenilson, Patrick e Caio Vidal permaneceram. Na frente, outra troca: Thiago Galhardo no lugar de Yuri Alberto. No Juventude, Marquinhos Santos, que teve uma semana para treinar, escalou a equipe esperada, escolhendo Matheus Jesus para compor o meio. 

O Inter teve a primeira chance aos cinco minutos. Vitor Mendes, que já havia levado cartão por deixar o braço em Caio Vidal, cometeu outro erro, Taison tabelou com Galhardo, entrou na área e bateu cruzado, ninguém apareceu para completar.

Foram 15 minutos de superioridade colorada. Pressionando a saída de bola do Juventude, o time de Diego Aguirre mantinha a posse no campo de ataque e criava situações. Mas as conclusões de Galhardo (de cabeça) e Taison (de pé direito) passaram longe da meta de Marcelo Carné.

Aos 19, a melhor chance. Após um balão para cima, Galhardo foi esperto, ganhou do zagueiro e deixou Taison cara a cara com o goleiro. De pé esquerdo, o camisa 10 bateu e Carné impediu o primeiro gol do capitão em seu retorno ao clube.

O Juventude só foi incomodar o Inter aos 22. Paulinho Boia fez jogada individual pela direita, driblou Heitor e chutou. Daniel pegou sem problemas.

O Inter seguia melhor, mas um velho problema reapareceu após dois jogos. Em uma cobrança de escanteio, Daniel falhou, a bola encobriu o goleiro e Forster apareceu no segundo pau para conferir. Para a sorte do Inter, a bola bateu no braço do jogador do Juventude, o que fez o gol ser anulado.

Ainda que o lance tenha sido invalidado, dali por diante, o Juventude cresceu. Paulinho Boia cabeceou com perigo, Daniel defendeu. Pouco depois, o Inter teve uma falta a favor que Carné tirou de soco, no contra-ataque, Paulinho Boia avançou, levou a bola e foi derrubado na entrada da área por Caio Vidal. Na cobrança, porém, Matheus Jesus isolou.

Nos acréscimos, outra boa jogada colorada. Carné foi fora da área dar um carrinho para evitar a chegada de Taison. O Inter pegou a bola rodou até chegar a Patrick, que cruzou. Galhardo fez o pivô e ajeitou para Edenilson chutar, a bola desviou na defesa e saiu ao lado da trave. Ainda antes do intervalo, Cuesta fez um cruzamento na medida e Caio Vidal, sozinho, se atrapalhou com a bola na hora de concluir.

O Inter voltou do vestiário com duas trocas, nas pontas. Saíram Caio Vidal e Patrick, entraram Mauricio e Palacios. O time de Aguirre iniciou melhor o segundo tempo, como havia feito no primeiro, mas desta vez, com uma diferença. 

Aos cinco minutos, Heitor acertou um cruzamento perfeito. Galhardo, entre os dois zagueiros, pulou e cabeceou com estilo, no ângulo de Carné: Inter 1 a 0.

Cinco minutos mais tarde, o time da casa esteve perto de ampliar. E teria sido um golaço. Edenilson deu um chapeuzinho no meio-campo e serviu Galhardo por cima da defesa. O centroavante ajeitou para Taison, de cabeça, concluir. Carné fez uma grande defesa.

Aos 17, Aguirre fez mais duas substituições. Taison deu lugar a Yuri Alberto e Moisés entrou na vaga de Paulo Victor. 

O Inter voltou a fazer Carné salvar o Juventude aos 23. Mauricio roubou a bola pelo meio, passou a Edenilson que tabelou com Galhardo, recebeu na frente e bateu. O goleiro do Juventude fez grande defesa.

O Juventude, depois de muito tempo apenas submetido, quase empatou aos 25. Sorriso girou na entrada da área e chutou, a bola desviou na defesa e saiu por pouco. Na sequência, outra chance para o Inter. Palacios cobrou falta para a área, Lindoso ajeitou para o meio e Cuesta chegou um pouco atrasado e acabou dividindo com a defesa. A bola saiu.

A última troca de Aguirre foi aos 30. Edenilson, cansado, saiu para o ingresso de Johnny. Pouco depois disso, Castilho fez uma bobagem. Ao ser ultrapassado por Palacios, já fora do lance, agrediu o atacante colorado com o cotovelo. Chamado ao VAR, o árbitro reviu o lance e expulsou o meia da equipe de Caxias.

A superioridade facilitou ao Inter para segurar o resultado e, finalmente, garantir a vitória.

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades