Publicidades

13/08/2021 | 07:32 | Política

Em depoimento ao TSE, ministro da Justiça reconhece que não há prova de fraudes nas eleições

Anderson Torres e o coronel da reserva Eduardo Gomes foram ouvidos pelo corregedor-geral eleitoral nesta quinta-feira

Torres participou dos minutos finais da transmissão e leu trechos de um relatório da Polícia Federal - Reprodução / Jair Messias Bolsonaro/Facebook

O ministro da Justiça, Anderson Torres, prestou depoimento nesta quinta-feira (12) dentro do inquérito administrativo aberto pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para investigar o presidente Jair Bolsonaro por ataques ao sistema eleitoral.


Segundo a TV Globo, Torres e o coronel da reserva Eduardo Gomes, que também foi ouvido pelo corregedor-geral eleitoral, ministro Luis Felipe Salomão, admitiram que não há provas de fraudes nas eleições.

Os depoimentos desta quinta-feira foram as primeiras providências do inquérito, aberto por decisão unânime dos ministros da Corte Eleitoral.

Torres e Gomes participaram da live do presidente Jair Bolsonaro em 29 de julho. Na ocasião, o presidente falhou em sua promessa de apresentar provas de supostas fraudes na urna eletrônica. Bolsonaro disse, inclusive, na transmissão pelas redes sociais, que Torres mostraria "alguns relatos de perícias por parte da Polícia Federal".

De acordo com o portal G1, Salomão determinou que seja incluído no inquérito, a pedido do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF),  se a participação do ministro da Justiça na live do presidente pode ser enquadrada como propaganda eleitoral antecipada.

O TSE recebeu ainda relatório da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC) sobre possível uso da empresa pública para promoção de integrantes do governo federal. A TV pública exibiu ao vivo a live de Bolsonaro, que durou duas horas.

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades