Publicidades

22/10/2021 | 05:34 | Política

Secretários do Ministério da Economia pedem demissão em meio à discussão sobre furo do teto de gastos

Bruno Funchal e Jeferson Bittencourt alegaram motivos pessoais, segundo a pasta

Secretário especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal - Antonio Cruz / Agência Brasil

O secretário especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, e o secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, pediram demissão de seus cargos ao ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta quinta-feira (21). O motivo dos dois seria pessoal.

O pedido de exoneração ocorre em meio à discussão sobre furo do teto de gastos. O governo Jair Bolsonaro acertou uma mudança para abrir um espaço de R$ 83,6 bilhões nas despesas adicionais em 2022. O acordo foi fechado na manhã desta quinta entre as alas política e econômica do governo, após dias de embates para viabilizar o pagamento de R$ 400 aos beneficiários do Auxílio Brasil determinado por Bolsonaro.

A secretária especial adjunta do Tesouro e Orçamento, Gildenora Dantas, e o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Rafael Araujo, também pediram exoneração de seus cargos, por razões pessoais.

Segundo nota do Ministério da Economia, "os pedidos foram feitos de modo a permitir que haja um processo de transição e de continuidade de todos os compromissos, tanto da Seto quanto da STN."

Confira a íntegra da nota
"O secretário especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, e o secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, pediram exoneração de seus cargos ao ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta quinta-feira (21/10).  

A decisão de ambos é de ordem pessoal. Funchal e Bittencourt agradecem ao ministro pela oportunidade de terem contribuído para avanços institucionais importantes e para o processo de consolidação fiscal do país. 

A secretária especial adjunta do Tesouro e Orçamento, Gildenora Dantas, e o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Rafael Araujo, também pediram exoneração de seus cargos, por razões pessoais.

Os pedidos foram feitos de modo a permitir que haja um processo de transição e de continuidade de todos os compromissos, tanto da Seto quanto da STN."

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades