Publicidades

31/10/2021 | 18:39 | Esporte

Grêmio leva virada do Palmeiras e se afunda ainda mais na zona de rebaixamento

Tricolor perdeu a segunda consecutiva e segue na penúltima colocação do Campeonato Brasileiro

Lauro Alves / Agencia RBS

O Grêmio segue em queda livre no Brasileirão. Atuando na Arena, na tarde deste domingo (31), o Tricolor chegou a abrir o placar com Diego Souza, mas perdeu a cabeça e sofreu a virada de 3 a 1 para o Palmeiras, com gols de Raphael Veiga, antes mesmo do intervalo. Desta forma, além de continuar em penúltimo lugar na tabela, o time gaúcho ainda viu a distância para o Ceará, primeiro clube fora do Z-4, aumentar para sete pontos.

Inspirado nos feitos de um passado recente, o técnico Vagner Mancini recorreu a dois remanescentes do último ciclo vitorioso gremista. Os experientes Geromel e Cortez foram escolhidos para substituir os suspensos Paulo Miranda e Rafinha.  E, empurrado por sua torcida, o time tomou a iniciativa em finalização à meia distância de Jean Pyerre, direto nas mãos de Weverton. 

Do outro lado do campo, porém, estavam os atuais campeões da América que, por sua vez, ainda nutrem o sonho de alcançar o líder Atlético-MG, antes de decidir o título da Libertadores outra vez, no final de novembro. E os palmeirenses assustaram quando, em cobrança de falta, Gustavo Scarpa acertou a trave direita de Brenno.

Com apenas 11 minutos, estava comprovado que o jogo poderia se decidir nos detalhes. Foi assim que Douglas Costa acreditou em uma bola que parecia perdida, desarmou o lateral Marcos Rocha e partiu em disparada. Ao invadir a área, o camisa rolou para Diego Souza, que estufou as redes sem piedade: 1 a 0.

Mas os visitantes estavam longe de serem batidos.  Tentavam envolver a defesa gremista na troca rápida de passes, tendo Scarpa como um dos protagonistas, seja para finalizar contra Brenno ou sendo derrubado próximo da área. Em um destas faltas cavadas por ele, Zé Rafael cobrou com perigo sobre o travessão.

Exposto na busca pelo empate, o Palmeiras cedeu espaço para contra-ataques às costas dos laterais. Desta forma, Alisson cruzou na cabeça de Diego Souza, que cabeceou para voo de Weverton. No rebote, Jean Pyerre perdeu ângulo e não conseguiu aumentar a vantagem.

Apesar da superioridade, os gremistas começaram a perder o controle emocional em reclamações contra a arbitragem. O maior dos protestos, porém, estava guardado para o final do primeiro tempo. Em jogada despretensiosa, em que a bola saía pela linha de fundo, Thiago Santos surgiu como um trem desgovernado, deslocando Marcos Rocha dentro da área. Chamado pelo VAR, o juiz Sávio Pereira Sampaio assinalou a penalidade. Coube a Raphael Veiga, aos 46, tirar Brenno da foto e deixar tudo igual no placar.

O gol deixou os gremistas ainda mais nervosos, com Villasanti trocando empurrões com Luan na área adversária. Mais preocupado em brigar do que jogar, o Tricolor se desligou e deixou Scarpa livre para acionar Raphael Veiga. Sem marcação, o meia disparou no canto de Brenno, decretando a virada antes mesmo do intervalo.

As reclamações, que ganharam força na saída para os vestiários, se intensificou na volta para o segundo tempo. Logo na primeira disputa na área, entre Thiago Santos e Zé Rafael, os gremistas pediram um pênalti para si. Nada foi marcado. Mas era o Grêmio quem partia para cima, tendo em Douglas Costa uma de suas principais armas.

Na tentativa de surpreender o rival, Mancini apostou nos jovens Elias e Jhonata Robert, tirando Diego Souza e Jean Pyerre. Mas foi Veiga quem assustou, cobrando falta no ângulo e exigindo elasticidade de Brenno. Como não surtiu efeito, outros três jogadores foram chamados do banco: Campaz, Lucas Silva e Churín.

Fechado na defesa, o Palmeiras não entregava alternativas ao Tricolor que não o chute de longa distância. Foi assim que Cortez e Lucas Silva forçaram uma tentativa apurada de chegar ao empate. Entretanto, a estratégia paulista havia se sobreposto ao lado emocional dos donos da casa.

Fechado na defesa, o Palmeiras não entregava alternativas ao Tricolor que não o chute de longa distância. Foi assim que Cortez e Lucas Silva forçaram uma tentativa apurada de chegar ao empate. Entretanto, a estratégia paulista havia se sobreposto ao lado emocional dos donos da casa. Para tornar ainda mais dramático o resultado final, o VAR ainda anulou um gol de Elias, que evitaria o pior e, nos acréscimos, Breno Lopes aumentou a vantagem dos visitantes: 3 a 1.

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades