Publicidades

28/11/2021 | 20:59 | Esporte

Sob vaias, Inter fica no 1 a 1 com o Santos no Beira-Rio e segue fora do G-8 do Brasileirão

Colorado abriu placar com gol contra do santista Luiz Felipe, mas sofreu empate pelos pés de Marcos Leonardo

Lauro Alves / Agencia RBS

Mais um jogo, mais decepção. Nem mesmo o Beira-Rio, onde tinha campanha excelente, parece fazer diferença. Pela 36ª rodada do Brasileirão, o Inter praticamente deu adeus a qualquer chance de ir direto para a fase de grupos da Libertadores e viu complicar até a de ir para a etapa preliminar ao empatar em 1 a 1 com o Santos neste domingo. Termina o domingo em nono, um ponto a menos e um jogo a mais do que o Ceará, oitavo. 

A volta de Yuri Alberto, mesmo com certo sacrifício em razão do edema ósseo no pé esquerdo, foi a principal novidade do time. Aguirre escalou o centroavante à frente de um trio ofensivo formado por Palacios (pela direita), Taison (centralizado) e Patrick (na esquerda). Atrás deles, Johnny e Edenilson. 

Antes da partida, a torcida presente no Beira-Rio fez a manifestação mais forte desde a volta do público. Os colorados cantaram: "O Paixão tem razão", em alusão ao áudio do ex-coordenador de preparação físico que falava sobre as limitações do grupo e sugeria mudanças de jogadores. Houve vaias também para alguns jogadores, como Patrick, Zé Gabriel, Boschilia, além do técnico Diego Aguirre.

Quando a bola rolou, o Inter começou empolgado. Pressionou o Santos na saída de bola para tentar roubar a bola já no campo de ataque. Mas suas duas primeiras oportunidades saíram em jogadas que foram iniciadas no campo de defesa. 

Aos oito minutos, Taison passou para Edenilson, que entregou para Palacios. O chileno encontrou Yuri Alberto entrando na área, serviu o centroavante, que bateu cruzado, raspando a trave.

Pouco depois, Patrick recebeu de Taison após corta-luz de Edenilson e chutou. João Paulo espalmou para escanteio. O goleiro e o camisa 10 colorado protagonizaram outra situação. Taison pressionou o último defensor santista e chegou a ter vantagem, mas não conseguiu pegar a bola antes de sair pela linha de fundo.

O jogo perdeu intensidade, com o Santos conseguindo reduzir o ímpeto colorado e tentando levar perigo na base da velocidade da gurizada escalada no ataque. Até concluiu duas vezes, mas ambas sem tanto perigo. 

O Inter voltou a chegar aos 28. E perdeu uma chance incrível. Em jogada pelo lado esquerdo, Taison conduziu para o ataque e lançou Palacios, que tentou dominar e a bola escapou, sobrando livre, sozinha, para Moisés. O lateral, já dentro da área, finalizou para fora.

Após 17 minutos de vantagem da defesa do Santos sobre o ataque do Inter, quando o primeiro tempo parecia que terminaria empatado, o Colorado conseguiu o gol. Eram 45 quando Taison trouxe da direita para o meio e arriscou de fora da área, de pé esquerdo. João Paulo fez grande defesa, mas deu rebote no pé de Patrick. O camisa 88 cruzou para Yuri Alberto, que chegava no segundo pau. Antes de a bola chegar no centroavante, o zagueiro Luiz Felipe deu um carrinho e fez gol contra. O Inter foi para o vestiário ganhando por 1 a 0.

Voltou de lá com uma troca: Johnny, que havia levado cartão amarelo, saiu para a entrada de Zé Gabriel. E começou o segundo tempo praticamente empatado. No primeiro minuto, a defesa colorada não conseguiu cortar um escanteio e a bola se apresentou para Marcos Leonardo, sozinho, superar Lomba. Tudo igual.

O apagão sofrido só não se transformou em virada porque Bruno Méndez estava atento. Aos três, Marcos Leonardo, foi lançado e fez o gol. O zagueiro uruguaio, porém, havia se adiantado e deixado o atacante impedido. Sem reação do time, Diego Aguirre fez mais uma troca. Patrick saiu, aos 10, sob vaias, para a entrada de Mauricio.

Logo depois da troca, o Inter esteve próximo de levar o segundo. Marcos Leonardo fez um pivô perfeito, de calcanhar, e deixou Madson cara a cara com Lomba. O goleiro colorado se agigantou e defendeu. Era um vareio: aos 14, Marcos Leonardo e Ângelo tabelaram, com o segundo, de novo, ficando frente a frente com o goleiro. Ele encheu o pé e Lomba salvou. 

Imediatamente, Aguirre chamou Gabriel Mercado e Heitor. Saíram Palacios e Saravia. No lance seguinte, aos 18, enfim, o Inter apareceu no segundo tempo. Mauricio arrancou pelo meio, conduziu e arriscou. A bola bateu na trave, correu sobre a linha e não entrou.

Mais arrumado defensivamente, o Inter voltou a atacar. Aos 26, Yuri tabelou com Mauricio, que bateu cruzado e João Paulo defendeu. No rebote, Edenilson e Taison tramaram e o camisa 8 chutou para nova defesa do goleiro. Aos 41, Moisés perdeu mais um gol feito em jogada de Mauricio. O lateral chutou cruzando ou cruzou chutando e errou. 

Nervoso com as vaias e claramente pressionado, o Inter não teve forças para superar o Santos. Já se vão quatro jogos sem vitória, apenas dois triunfos nos últimos 11 jogos. Campanha de quem não vai para a Libertadores.

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades