Publicidades

30/12/2021 | 15:34 | Política

Bolsonaro diz que ajuda da Argentina para a Bahia não era ''necessária no momento''

Presidente usou as redes sociais para comentar negativa do governo federal de missão humanitária oferecida pelo país vizinho

Chuva constante na Bahia já afeta mais de 624 mil pessoas e deixa 90 mil fora de casa - Mateus PEREIRA / Governo da Bahia/AFP

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira (30) que a missão humanitária da Argentina oferecida ao Brasil para auxiliar as cidades da Bahia afetadas pela chuva não era necessária no momento. Por meio das redes sociais, o presidente escreve que as Forças Armadas e a Defesa Civil já estão prestando ajuda a população baiana afetada pelos temporais.

"O fraterno oferecimento argentino, porém muito caro para o Brasil, ocorre quando as Forças Armadas, em coordenação com a Defesa Civil, já estavam prestando aquele tipo de assistência à população afetada, inclusive com o apoio de três helicópteros da Marinha e do Exército", disse. "Por essa razão, a avaliação foi de que a ajuda argentina não seria necessária naquele momento", completou o presidente.

Bolsonaro, porém, não descartou aceitar ajuda humanitária do país vizinho no futuro, "em caso de agravamento das condições". O presidente da República está em Santa Catarina para passar o Ano-Novo e vem acompanhando de longe a situação da Bahia, onde a chuva constante já afeta mais de 624 mil pessoas e deixa 90 mil fora de casa. 

O presidente escreveu ainda que o governo federal está aberto à ajuda e doações internacionais e que o Itamaraty aceitou, nesta quarta-feira (29), doações da Agência de Cooperação do Japão de barracas, colchonetes, cobertores e outros equipamentos.

O pedido de autorização para a ajuda estrangeira da Argentina foi feito pelo governador da Bahia, Rui Costa (PT), na quarta (29), e negada pelo Ministério das Relações Exteriores. O país vizinho havia oferecido ao estado baiano 10 homens, conhecidos como capacetes brancos, especialistas em assistência à população afetada por tragédias ambientais.

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades