Publicidades

12/01/2022 | 06:26 | Polícia

Homem é preso em Porto Alegre suspeito de compartilhar pornografia infantil nas redes sociais

Material foi encontrado após desdobramentos de investigação de abuso sexual que iniciaram em 2020

Ao todo, a polícia apreendeu 18 CDs e um celular com conteúdo de pornografia infantil - Divulgação / Polícia Civil

Na manhã desta terça-feira (11), um homem de 52 anos foi preso em flagrante, em Porto Alegre, por compartilhamento e armazenamento de pornografia infantil. Segundo a delegada responsável pela investigação, Larissa Fajardo, foram apreendidos um celular e 18 CDs contendo fotos e vídeos de meninos entre sete e 14 anos.

— Ele compartilhava o conteúdo nas redes sociais. Os próximos passos da investigação são saber a origem desse material e se ele vendia ou apenas divulgava — disse a delegada, ressaltando que o material mais antigo era de 2020. 

A prisão ocorreu após os desdobramentos de investigações do 2º Departamento de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) que iniciaram em 2020. Na época, o homem morava em um apartamento com seu primo, a esposa e os filhos dele. No final daquele ano, a mulher denunciou o suspeito pelo crime de abuso contra seus filhos, dois meninos, de 10 e sete anos. Na denúncia, ela apresentou  12 CDs com conteúdo de pornografia infantil.

— Foi nesse momento que ele saiu da casa e foi morar sozinho. As crianças foram encaminhadas para o Centro de Referência em Atendimento Infanto-Juvenil (Crai), para realização de exames e atendimento psicológico. O processo passou pela perícia e, por isso, levou um tempo — conta a delegada.  O inquérito sobre as investigações de abuso continua aberto.

Após o processo, a polícia foi até a residência do homem esta semana, onde encontrou seis CDs e apreendeu um celular com os vídeos e fotos. Os agentes também tiveram acesso a conversas do homem com pessoas que recebiam o material. Uma delas era do Estado do Pará, no Norte do país. 

Sem antecedentes criminais, o homem se manteve em silêncio durante o depoimento. Segundo a delegada Larissa Fajardo, ele aguardava vaga no sistema prisional.

Produção: Henrique Abrahão

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades