Publicidades

31/03/2022 | 19:26 | Política

Moro confirma filiação ao União Brasil e retira pré-candidatura à Presidência

Ex-ministro deve concorrer a uma vaga na Câmara dos Deputados por São Paulo

Reprodução internet

O ex-ministro Sergio Moro comunicou a filiação ao União Brasil e a desistência da pré-candidatura à Presidência da República. Em postagem nas redes sociais, ele disse que a decisão deve "facilitar as negociações das forças políticas de centro democrático em busca de uma candidatura presidencial única". 

"O Brasil precisa de uma alternativa que livre o país dos extremos, da instabilidade e da radicalização. Por isso, aceitei o convite do presidente nacional do União Brasil, Luciano Bivar, para me filiar ao partido e, assim, facilitar as negociações das forças políticas de centro democrático em busca de uma candidatura presidencial única", escreveu.

"A troca de legenda foi comunicada à direção do Podemos, a quem agradeço todo o apoio. Para ingressar no novo partido, abro mão, nesse momento, da pré-candidatura presidencial e serei um soldado da democracia para recuperar o sonho de um Brasil melhor", finalizou.

Moro enfrentava resistência no União Brasil para manter a intenção de concorrer à Presidência. O partido é resultado da fusão de PSL, sigla pela qual Jair Bolsonaro se elegeu presidente em 2018, e DEM e mantém divisão com relação ao ex-juiz da Lava-Jato. Secretário-executivo do União Brasil, ACM Neto, da ala do DEM, assinou uma nota mais cedo ressaltando que Moro seria bem-vindo à sigla, mas sem garantia de candidatura presidencial. 

Reviravolta
O ex-juiz da Lava-Jato esteve com o presidente nacional do União Brasil, Luciano Bivar, na segunda-feira (28), e os dois debateram sobre a possibilidade de unificar as candidaturas de terceira via nas eleições. O União Brasil mantém diálogos constantes com o PSDB e o MDB para tentar apresentar uma candidatura única alternativa ao presidente Jair Bolsonaro (PL) e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). 

Outra reviravolta importante dentro do grupo aconteceu com a decisão do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), de desistir de participar da eleição presidencial. O paulista inclusive manifestou o desejo de sair da legenda. Doria tem sido alvo de uma forte oposição interna no PSDB, que quer que Eduardo Leite (PSDB), recentemente saído do governo do Rio Grande do Sul, seja a opção presidencial. 

No MDB, a pré-candidatura apresentada é a da senadora Simone Tebet (MS). A aliados, a parlamentar se mostrou otimista com a crise tucana e vê chance de o MDB liderar a candidatura da terceira via.

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades