Publicidades

17/05/2022 | 21:43 | Esporte

Com dois de Edenilson, Inter vence Independiente Medellín e assume liderança do Grupo E

Colorado agora seca o Guaireña, que encara o 9 de Octubre ainda nesta terça, para seguir na ponta

Jefferson Botega / Agencia RBS

Na noite em que a previsão do tempo antecipou uma tempestade sub-tropical para Porto Alegre, em que a Defesa Civil emitiu alerta para a população ficar em casa, em que aulas foram suspensas e supermercados fecharam mais cedo, teve futebol no Beira-Rio. No frio de sensação térmica inferior a 10ºC, o Inter venceu o Independiente Medellín por 2 a 0 e assumiu a liderança do Grupo E da Copa Sul-Americana após cinco rodadas. 

Essa situação se manterá caso o Guaireña-PAR não vença o 9 de Octubre, fora de casa, por mais de um gol. Foi também a noite redentora de Edenilson, que após ter alegado sofrer injúria racial no sábado, marcou os dois gols.

Sem Alan Patrick, que chegou após o encerramento das inscrições na primeira fase da Sul-Americana, Mano Menezes optou pelo caminho mais simples. Manteve a formação que havia jogado (em sua avaliação, bem) contra o Corinthians, escalando Mauricio como meia. Na zaga, Bruno Méndez, que não pôde jogar diante dos paulistas por uma questão contratual, retornou para formar dupla com Vitão.

Após um período inicial de precaução, o Inter tomou a iniciativa. Fez uma pequena variação de nomes no 4-4-2, aproximando Mauricio de David, com Wanderson aberto, e isso deu certo aos oito minutos. O Inter recuperou a bola pelo meio-campo, Mauricio arrancou e percebeu Edenilson correndo a seu lado. Entregou a bola ao camisa 8 que, cara a cara com o goleiro, tentou o chute por baixo, justamente o que Marmolejo fez para salvar os colombianos.

Aos 12, foi a vez de Wanderson, ora centralizado, a carregar a bola da direita para o centro e arriscar. O chute foi desviado e saiu para escanteio. Quatro minutos mais tarde, de novo Wanderson esteve perto de marcar. Ele foi esperto e interceptou passe atravessado. Partiu para cima da defesa, pedalou e concluiu, por cobertura. Marmolejo estava atento e defendeu.

A superioridade do Inter foi traduzida em gol aos 18. A jogada começou com um passe milimétrico de Wanderson para David, que entrava no meio da defesa. O camisa 17 tentou driblar o goleiro, mas foi desarmado. Ainda assim, insistiu e conseguiu cruzar para a área. Edenilson apareceu do outro lado e empurrou para a rede. Inter 1 a 0. Mas se o gol já era importante, a comemoração foi épica. Ignorando a noite fria, a chuva e a regra, Edenilson tirou a camisa e mostrou a pele negra e punhos cerrados, com o gesto antirracista.

A vantagem não fez o Inter desacelerar. Aos 22, esteve perto do segundo. Edenilson, novamente, avançou pela direita e cruzou rasteiro. David dividiu com o goleiro, que fez duas intervenções para salvar.

A chance seguinte colorada ocorreu aos 33. De Pena cobrou escanteio no primeiro pau, Dourado antecipou a marcação e cabeceou. Para fora. No lance seguinte, o Independiente chegou pela direita, mas Bustos cortou e iniciou o contra-golpe, passando para De Pena, que encontrou Wanderson em progressão. Mais uma vez com passe preciso, o camisa 11 serviu Bustos, que já havia percorrido o campo inteiro e se apresentava no ataque. O lateral bateu, mas o zagueiro conseguiu desviar para escanteio.

Só aos 43 minutos o adversário fez Daniel trabalhar. Após um balão para a direita, a defesa cortou parcialmente e Pons pegou o rebote. Arriscou de longe, Daniel pegou sem problemas. O primeiro tempo terminou com o Inter, mais uma vez, lamentando não ter descido ao vestiário com um placar mais elástico.

A segunda etapa começou parecida com a primeira. O Inter, e Wanderson, tomando conta das ações e tentando fazer o segundo gol para dar tranquilidade. As duas primeiras chegadas não tiveram conclusão porque defensores colombianos cortaram no momento certo um chute e um passe de De Pena.

A força para fazer o segundo gol foi recompensada. E por quem passou os piores momentos. Edenilson estava atento, no meio da defesa do Independiente, para aproveitar o rebote de outra jogada de Wanderson. O camisa 8 colorado dominou, enquadrou o corpo e bateu de esquerda, efeito procurante, na gaveta. Aos 11 minutos, Inter 2 a 0.

Aos 18, o Inter deixou de matar o jogo. Wanderson começou a jogada no campo de defesa e arrancou. No meio do caminho, deu um drible desconcertante em um adversário e seguiu. Deu o gol de presente para David, que adiantou demais e concluiu em cima do goleiro. 

Foi a despedida do atacante, aliás, que três minutos mais tarde, ao lado de De Pena, saíram para as entradas de Alemão e Liziero. Pouco depois, Mano mexeu nos dois laterais: Bustos, enfim, foi substituído (após 17 jogos seguidos de titular e 16 com 90 minutos), por Heitor e Renê deu lugar a Moisés.

Wanderson criou outra boa jogada aos 27. Ele tabelou com Alemão e partiu em velocidade. Mauricio fez o movimento e pediu a bola. O passe, porém, foi um pouquinho esticado, o que permitiu ao goleiro fazer defesa. Alemão entrou ligado e fez pivô interessante para Mauricio, que entregou a Wanderson. O camisa 11 ajeitou e bateu, mas o goleiro espalmou a escanteio.

Com o adversário completamente batido, Mano fez a última troca. Colocou Estêvão no lugar de Mauricio, aos 35. Foi do guri a chance do terceiro gol. Aos 38, Edenilson largou rolando e ele encheu o pé. Marmoleio fez uma defesa espantosa e, no rebote, conseguiu ainda mais: Bruno Méndez testou à queima-roupa e ele voou para salvar.

O Inter manteve a tranquilidade até o final e agora pode confirmar a classificação na próxima semana, contra o 9 de Octubre. Resistiu ao frio, à chuva e à tempestade.

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades