Publicidades

24/05/2022 | 23:29 | Esporte

Com três gols de Dourado, Inter goleia 9 de Octubre e garante classificação na Sul-Americana

Colorado agora aguarda adversário que será definido em sorteio da Conmebol na sexta-feira

André Ávila / Agencia RBS

Nem teve tanto susto assim. O Inter se classificou para as oitavas de final da Copa Sul-Americana ao golear o 9 de Octubre por 5 a 1, com três gols de Rodrigo Dourado, um de Estêvão e um contra de Quiñonez, no Beira-Rio. Agora, enfrentará alguma equipe que tenha ficado em terceiro lugar na Libertadores. 

Única dúvida para o jogo, Taison realmente ficou no banco no começo do jogo. Como recém se recuperou de lesão muscular que o afastou da equipe por mais de 20 dias, viu Mauricio completar o meio-campo, ao lado de Dourado e De Pena (que retornaram após ficarem na reserva diante do Cuiabá) e Edenilson, com David e Wanderson na frente. Atrás, Bruno Méndez voltou à zaga, junto a Vitão. Renê retornou à lateral direita e Bustos, à direita.

O Inter levou cinco minutos para acordar no jogo. O 9 de Octubre chegou até a chutar uma bola a gol, de falta, neste período, que Daniel defendeu sem problemas. No lance seguinte a essa cobrança, o time da casa contra-atacou e conseguiu um escanteio. De Pena cruzou, o goleiro errou o tempo da bola, Bruno Méndez concluiu e Cisneros bloqueou em cima da linha. Wanderson apanhou o rebote e chutou, carimbando outro adversário. Bruno Méndez tentou de novo e mais uma vez havia alguém no caminho.

Aos nove minutos, o segundo escanteio colorado deu resultado. De Pena cruzou na medida e Rodrigo Dourado saltou mais do que a defesa para abrir o placar, Inter 1 a 0.

Pois a vantagem colorada, que poderia dar tranquilidade, durou dois minutos. Renê se atrapalhou para afastar a bola e deu um presente a Esterilla, que cruzou. Caicedo subiu sozinho e matou Daniel com uma bela cabeçada. Um a um e todo o caminho a percorrer.

A resposta foi quase imediata, mas o lance terminou com gol anulado. Mauricio tabelou com David e encheu o pé. Recalde espalmou para o meio e David pegou o rebote, devolveu para Mauricio, que marcou. Mas tudo foi invalidado pelo impedimento do atacante.

Havia uma certa ansiedade para conseguir o segundo gol. E isso se traduzia em erros e precipitação. Mauricio tentou de longe, mas sem perigo. Depois, De Pena foi quem arriscou de fora da área, Recalde espalmou para escanteio. Na sequência, o Inter armou um contragolpe rápido que teve tabela de De Pena e Dourado. O uruguaio cruzou rasteiro para a da área, Renê passou da bola e Wanderson pegou a sobra, mas chutou fraquinho.

Mauricio, aliás, precisou deixar o campo com pouco mais de meia hora de jogo. Se o plano era poupar Taison e colocá-lo gradativamente, foi por água abaixo aos 33. O meia sentiu dores no joelho e teve de sair para a entrada do camisa 7.

No Beira-Rio, chegava a notícia de Pereira que o Independiente Medellín vencia o Guaireña, resultado que classificava o Inter à próxima fase. Mas isso não reduzia a ansiedade colorada. Perigo mesmo só houve aos 40. Após cobrança de escanteio, Cisneros quase fez contra, mas a bola passou por cima. Três minutos depois, em um erro do 9 de Octubre, Edenilson deixou Taison na cara do goleiro, mas a conclusão foi em cima de Recalde.

O primeiro tempo terminou sob vaias da torcida. E o time voltou do vestiário sem trocas. Mas iniciou mais tranquilo, ainda mais fazendo gol cedo.

Eram quatro minutos quando Edenilson cobrou escanteio, a zaga não conseguiu cortar e Taison pegou o rebote. Fez três embaixadinhas e cruzou rasteiro para a área. Dourado, como centroavante, pegou de primeira e empurrou para a rede. 

Logo depois de fazer o segundo, o Inter teve duas chances de marcar o terceiro. Wanderson tabelou com Taison, recebeu na frente, ajeitou e bateu. Recalde fez grande defesa. No minuto seguinte, Taison acionou, de cavadinha, David, que concluiu de virada, mas sem a direção da trave. Bruno Méndez ainda se atirou de carrinho, porém não alcançou.

Neste momento, o Guaireña empatava o jogo na Colômbia, o que acendia novamente o alerta no Beira-Rio. Mas para aliviar o drama, Becerra deixou as travas da chuteira na barriga de De Pena e foi expulso. A cobrança desta falta, aliás, quase foi gol. De Pena bateu por cima da barreira, mas na rede pelo lado de fora.

Aos 21, o gol da tranquilidade. Edenilson foi lançado pela direita, chegou ao fundo e cruzou. Quiñonez colocou o corpo na bola e deslocou o goleiro, marcando contra, 3 a 1.

Quando saiu o terceiro, Mano chamou dois guris para ganhar rodagem: Cadorini e Estêvão entraram nos lugares de David e Wanderson.

Os dois jovens estiveram perto de marcar. Estêvão passou de cabeça e Cadorini chegou meio segundo atrasado, possibilitando que Recalde desse um soco na bola. Pois quem marcou foi Dourado. A consagração: após cruzamento na área, colocou a cabeça na bola e venceu o goleiro. Inter 4 a 1, três gols de Dourado. Vaiado no anúncio da escalação, saiu de campo sob aplausos de pé dos colorados para a entrada de Gabriel. Na mesma substituição, Heitor entrou na vaga de Bustos.

A festa aumentou aos 38. Taison fez um cruzamento na medida para Cadorini. O centroavante matou no peito e até perdeu um certo tempo, dividiu com o zagueiro. Estêvão, de carrinho, aproveitou e marcou o quinto. 

Dali por diante, foi só aproveitar os minutos finais e comemorar a classificação. O sonho do bi continua.

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades