Publicidades

31/07/2022 | 18:02 | Esporte

Inter goleia o Atlético-MG e volta ao G-6 do Brasileirão

Colorado contou com dois gols de Mauricio e um de Wanderson para vencer por 3 a 0 em casa

Mauricio e De Pena comemoraram gol colorado com a torcida - André Ávila / Agencia RBS

Domingo, 16h. Sol em Porto Alegre. Quase 40 mil pessoas no Beira-Rio. O que poderia ser melhor para os colorados? Uma vitória como a obtida nesta abertura de segundo turno do Brasileirão. Diante do campeão nacional, o Inter aplicou 3 a 0, dois de Mauricio e um de Wanderson, todos no primeiro tempo, voltou ao G-6 passando o próprio Atlético-MG, e reencontrou a confiança para o confronto com o Melgar-PER, quinta-feira, pelas quartas de final da Copa Sul-Americana. 

O auxiliar Sidnei Lobo manteve a estrutura montada pelo suspenso Mano Menezes. O Inter saiu escalado com uma linha de quatro defensores, contando com os retornos de Bustos e Renê nas laterais mais Vitão e Mercado na zaga (Moledo sofreu uma lesão muscular e ficará fora por quatro semanas). 

O meio teve Gabriel, Edenilson, De Pena e Mauricio, com Wanderson, em detrimento de Pedro Henrique como atacante pelo lado, e Alemão de centroavante. No Galo, a reestreia de Cuca teve força máxima, mesmo tendo o jogo com o Palmeiras pela Libertadores na quarta-feira. Isso significou ter em campo atletas da envergadura de Nacho Fernández, Guilherme Arana, Keno e, claro, Hulk. 

A partida começou equilibrada, com o Atlético-MG tentando não se incomodar com o ambiente do Beira-Rio. Antes do terceiro minuto, o Inter já tinha um cartão amarelo, de Mercado, por falta em Ademir. Mas o time gaúcho não queria ser apenas um coadjuvante do estelar clube mineiro.

Aos seis minutos, Mercado afastou a bola lançada para a área. O balão foi disputado por Alemão e Junior Alonso, com vantagem do centroavante, fazendo a bola chegar a Mauricio. O meia conduziu, não foi acossado e arriscou. Da intermediária, seu chute voou até o ângulo de Everson, que nada pôde fazer. Um golaço, Inter 1 a 0.

A resposta do Atlético-MG saiu três minutos depois, em situação semelhante. Keno tentou de fora da área, mas a conclusão passou por cima do travessão. Aos 11, Ademir também chutou de longe, à direita de Daniel.

A partida ficou com o seguinte panorama: o Galo tinha a bola, o Inter buscava o contragolpe. Mas a chance claríssima fugiu desta tônica, aos 20. A equipe de Mano Menezes/Sidnei Lobo saiu jogando de trás. Mercado para Gabriel, Gabriel para De Pena, De Pena para Alemão, Alemão para Mauricio, Mauricio para Wanderson, rápido, tudo em progressão. Wanderson entrou na área, tentou driblar Nathan Silva e viu Alemão passar por suas costas. Deu o passe de calcanhar. O centroavante cruzou e Mauricio finalizou. Na rede pelo lado de fora.

Engana-se quem pensou que havia sido lance isolado. Entre o 22º e o 23º minuto, o time ficou com a bola, rodando e enrolando a defesa atleticana. Desta vez, pela direita, entre Bustos, Gabriel e Edenilson. Coube ao camisa 8, capitão do time, dar o passe. Rasteiro, para dentro da área. Wanderson se desvencilhou de Mariano e bateu de primeira: 2 a 0.

A vantagem transformou o Beira-Rio em uma festa. E também em mais força, era uma avalanche. Atordoado, o Atlético-MG foi buscar a bola dentro do gol aos 30. Nacho Fernández foi desarmado por Edenilson, que acionou De Pena imediatamente. O uruguaio levou pelo meio e enxergou Mauricio se escapando da marcação. O passe foi na medida, e Mauricio não perdoou: em meia hora, o Inter goleava o campeão brasileiro.

Precisou de 34 minutos para o Galo ter uma oportunidade real de gol. Nacho, pela ponta esquerda, cruzou. A bola desviou em Bustos e tirou a zaga da ação. Ademir entrou rompendo e bateu, de pé esquerdo. Daniel, à queima-roupa, fez um milagre. Dali até o intervalo, o Inter quase não correu riscos. Manteve o Atlético-MG longe de seu gol e, ainda por cima, ameaçou em contra-ataques. Para Cuca, o ideal foi ter acabado o primeiro tempo mesmo.

Até porque fez duas trocas no intervalo. Mostrando a força do grupo, mandou a campo Vargas e Pedrinho, sacando Nacho e Ademir. Mas foi o Inter quem voltou aceso. Aos dois minutos, Alemão escorou e Mauricio bateu, mas Junior Alonso esticou o pé para bloquear.

O Atlético-MG respondeu aos cinco. A jogada começou em uma disputa que pareceu falta em Mauricio. O árbitro não marcou. Nathan Silva, então, cruzou. Jair se antecipou e concluiu. Daniel cresceu e fez outra defesa espantosa. O rebote, do próprio Jair, saiu por cima.

Aos 11, um lance confuso na área do Atlético-MG. Começou por um escanteio cedido de forma bizarra, em erro de passe. Após a cobrança, Vitão dividiu com a defesa. A bola ficou pingando e sobrou para Alemão, que não concluiu alegando ter sido deslocado. O árbitro nada marcou e a revisão, na cabine, não encontrou irregularidades.

O Galo esteve muito, muito próximo de descontar aos 17. Em uma jogada tramada pelo lado esquerdo, Vargas ajeitou e Arana bateu. A bola desviou na zaga do Inter, tirou Daniel da jogada e ficou no travessão. Foi a senha para Sidnei Lobo dar sangue novo ao time. Saíram os autores dos gols, Wanderson e Mauricio, entraram Pedro Henrique e Johnny. Aos 29, mais trocas. Dentre elas, uma estreia: Braian Romero no lugar de Alemão. A outra foi o ingresso de Kaique Rocha para a saída de Mercado.

Daniel precisou trabalhar mais uma vez, aos 32. Pedrinho cruzou no segundo pau, Vargas ajeitou e Sasha cabeceou de dentro da área. O goleiro colorado salvou, e sem dar rebote.

O contra-ataque tão esperado apareceu aos 37. Bustos fez um lançamento em profundidade para Romero. Ele ganhou de Junior Alonso e serviu Pedro Henrique, que fez o movimento em diagonal. Mas PH se precipitou e bateu de primeira, mal.

A última troca foi a saída de Edenilson para a entrada de Estêvão. O capitão foi aplaudido pelo Beira-Rio. Àquela altura, faltava só esperar o apito final. O Inter deu o troco no Galo, com juros e correção. Está readquirida a confiança para enfrentar o Melgar.

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades