Logomarca Paulo Marques Notícias

03/04/2024 | 05:20 | Polícia

Denarc desarticula local usado por facção criminosa para armazenar e distribuir drogas no Campo da Tuca

Imóvel mantido sob fachada de residência foi alvo de investigação e guardava entorpecentes e fuzil que seriam de grupo atuante na região

Imóvel mantido sob fachada de residência foi alvo de investigação e guardava entorpecentes e fuzil que seriam de grupo atuante na região
Fuzil, maconha de alto potencial tóxico e celulares foram apreendidos na abordagem decorrente de monitoramento após denúncia. Polícia Civil / Divulgaç

O Departamento Estadual de Investigação do Narcotráfico (Denarc-RS) desarticulou, na tarde desta terça-feira (2), local que seria utilizado como posto avançado para armazenamento e distribuição de drogas, na Vila João Pessoa, em Porto Alegre. 

Segundo o delegado Gabriel Borges, a investigação se iniciou a partir de denúncia anônima sobre imóvel que estaria sendo utilizado para fins de armazenamento de materiais ilícitos de uma facção criminosa atuante na região, conhecida popularmente como Campo da Tuca.

— Com o monitoramento do local foi possível constatar a veracidade das informações, em que uma casa com aparência de abandonada serviria apenas para armazenamento de drogas e armas — aponta o delegado.

Borges conta que os agentes decidiram fazer a entrada no imóvel, localizando 1,5 kg de maconha da modalidade camarão, com alto potencial tóxico, e apreenderam um fuzil calibre 7.62, modelo mosquetão, além de celulares. O delegado explica, ainda, que uma mulher, apontada como proprietária do imóvel, foi indiciada e responderá a inquérito instaurado pelo Denarc.

— A prisão em flagrante não ocorreu porque a investigada não estava na residência no momento da abordagem — revela Borges. 

A identidade da suposta proprietária da casa não foi divulgada pela polícia.

De acordo com Gabriel Borges, a ação integra a estratégia da Polícia Civil de intensificar as ações e investigações contra o tráfico de drogas, "buscando lideranças e a descapitalização das organizações criminosas". Ele afirma que as investigações terão prosseguimento "para responsabilizar criminalmente os demais membros do grupo criminoso". 

Fonte: GZH
Mais notícias sobre POLÍCIA