Logomarca Paulo Marques Notícias

16/05/2024 | 06:18 | Polícia

Polícia apreende 31 quilos de maconha na zona sul de Porto Alegre

Entorpecente foi localizado no bairro Cavalhada; dois homens foram presos em flagrante

Entorpecente foi localizado no bairro Cavalhada; dois homens foram presos em flagrante
Agentes localizaram duas malas com o entorpecente. DENARC / Divulgação

A Polícia Civil prendeu, na noite de terça-feira (14), dois homens em flagrante por tráfico de drogas no bairro Cavalhada, na zona sul de Porto Alegre. Com eles foram apreendidos 31 quilos de maconha.

Segundo o delegado Gabriel Borges, do Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Denarc), o trabalho se iniciou a partir de investigações já em andamento que têm como alvo o grupo criminoso que atua na região

Os policiais receberam a informação de que uma carga de entorpecentes havia sido transportada para um imóvel do bairro, tendo sido retirada de uma área mais próxima do rio para evitar que fosse danificada com o avanço da água. Além disso, a denúncia narrava que dois homens eram responsáveis pelo seu armazenamento. 

Com as informações, os policiais efetuaram buscas no local, encontrando um dos homens descritos na denúncia nas proximidades do imóvel. 

O suspeito foi abordado e, segundo a polícia, demonstrou nervosismo ao ser questionado sobre a droga, não sabendo inclusive informar quem residia no imóvel ao fundo do seu terreno. 

Com a autorização do homem, a polícia entrou na residência e encontrou no segundo imóvel do pátio outro homem, também com as características narradas na denúncia. 

Na casa dos fundos os policiais localizaram duas malas com aproximadamente 31 quilos de maconha. Os dois homens, com diversos antecedentes criminais, foram presos em flagrante pelo crime de tráfico de drogas e associação com o tráfico. 

 A investigação prossegue para responsabilizar os membros da organização criminosa que atua na região. 

O delegado Gabriel Borges reforça que a tentativa de evitar prejuízo ao tráfico de drogas foi frustrada pelo monitoramento constante do Denarc, e que mesmo durante a catástrofe humanitária o trabalho de repressão ao narcotráfico continuou.  

— Reforçamos a necessidade das denúncias da comunidade que muitas vezes presencia estes crimes, pelo nosso canal anônimo — informa o delegado.  

Disque-denúncia do Denarc: 

08000 518 518  

Fonte: GZH
Mais notícias sobre POLÍCIA